Publicidade

Correio Braziliense

Governo fará pregão para contratar empresa e revitalizar passarelas do DF

O pregão eletrônico número 64/2018 está a cargo do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF) e será aberto em 22 de agosto, às 14h


postado em 09/08/2018 15:40 / atualizado em 09/08/2018 20:01

A licitação acontecerá em dois lotes. O primeiro é estimado em R$ 4.170.355,42. O segundo, em R$ 1.370.329,39(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
A licitação acontecerá em dois lotes. O primeiro é estimado em R$ 4.170.355,42. O segundo, em R$ 1.370.329,39 (foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
 

O Governo do Distrito Federal publicou, nesta quinta-feira (9/8), no Diário Oficial do DF (DODF), o anúncio de um pregão eletrônico para revitalização de passarelas com estruturas comprometidas no Distrito Federal. O GDF busca empresa especializada “na execução dos serviços de recuperação, revitalização e manutenção continuada de Obras de Arte Especiais do tipo passarelas".

A última manutenção nas passarelas ocorreu em 2013. O pregão eletrônico número 64/2018 está a cargo do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF) e será aberto em 22 de agosto, às 14h. Interessados podem entrar em contato pelos números 3111-5600 e nos finais 5601, 5602 e 5603. O edital do pregão e alterações estão disponíveis nos endereços www.der.df.gov.br e www.licitacoes-e.com.br.

As três passarelas da Estrutural, a da Candangolândia e a do Núcleo bandeirante são as que estão em estado mais crítico no DF. A licitação ocorrerá em dois lotes. O primeiro é estimado em R$ 4.170.355,42. O segundo, em R$ 1.370.329,39. Em ambos os casos, vencerá a empresa que cobrar o menor valor.

Geraldo Filho, superintendente de obras do DER explica o que será feito. “São serviços de recuperação no pilar, piso, guarda-corpo, telas. É um trabalho em todas as passarelas. A gente já tinha uma vistoria das passarelas de 2013. Temos todos os tipos de situação. Nenhuma corre risco de queda, mas, nos casos mais críticos, temos processo de corrosão e piso e telas desgastados, que podem oferecer risco para o usuário”, explica.

Ainda segundo Geraldo Filho, as passarelas vistoriadas não têm relçação com a lista elaborada pelo GDF após a queda do viaduto da Galeria dos Estados. “Essa vistoria de obras de arte especiais é uma outra situação. Temos um grupo com o DER, Novacap e Secretaria da Infraestrutura para vistoriar esses Monumentos. Já visitamos mais de 150. Esse é um outro trabalho. Em breve, deve contar com uma licitação também”, acrescenta.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade