Publicidade

Correio Braziliense

"Pensei que seria mais uma mulher morta e decidi denunciar", diz vítima

Ex-namorado ligou para a mulher, que estava na escola, ameaçando matá-la a facadas. Polícia Militar prendeu o suspeito em flagrante, em Ceilândia


postado em 24/08/2018 16:38 / atualizado em 24/08/2018 20:15

(foto: FCLopes/CB/D.A Press)
(foto: FCLopes/CB/D.A Press)
Um homem de 29 anos foi preso por ameaçar a ex-namorada de morte enquanto ela estava em uma escola em Ceilândia, na noite de quinta-feira (24/8). A 19ª Delegacia de Polícia (P Norte) investiga o caso. O jovem está detido na Divisão de Controle e Custódia de Presos (DCCP).

 

Vítima e agressor passaram cinco meses juntos e, nas últimas duas semanas, terminaram o relacionamento. Segundo a mulher, ele não aceitou o fim do namoro e passou a ameaçá-la. "Ele falava que se eu não ficasse com ele, não ficaria com mais ninguém", relata. 

 

Na noite de quinta-feira (24), ela estava dentro da sala de aula quando começou a receber inúmeras ligações do acusado. Com medo, a jovem acionou os policiais militares do Batalhão Escolar, que fizeram um cerco na escola. "Nós presenciamos uma das ligações do homem e ele disse que iria cravar uma faca no pescoço dela no término das aulas", conta o sargento Etelmo Sousa Rodrigues.  

 

O homem apareceu na escola de moto e, ao avistar os militares, fugiu. Houve perseguição e o acusado foi alcançado na QNP 9/13. Na delegacia, constatou-se que ele estava em regime domiciliar, tinha uma passagem pela Lei Maria da Penha e não tinha licença para dirigir. A motocicleta foi recolhida ao depósito do Departamento de Trânsito (Detran-DF) por não ter documentação.  

 

"Achei que morreria. Se não fosse por uma ligação, poderia estar morta agora", diz a vítima.

 

Relacionamento abusivo 

Durante os cinco meses de namoro, a mulher sofreu outros tipos de violência, mas não denunciou por medo do agressor. "Sofria ameaças e agressões constantes. Também sentia vergonha de contar para alguém, por ter ficado com ele, sofrendo tudo isso. Só que eu pensei que seria mais uma mulher morta e, por isso, decidi denunciar dessa vez", afirma. 

 

O homem já cortou o cabelo da vítima, colocou fogo nas roupas dela, a xingou, colocou uma faca no pescoço dela, além de também tê-la agredido. Em uma das ocasições, ela levou uma paulada na perna. 

 

"Eu não merecia isso. Eu quero estudar e ter um futuro para mim. Por isso, decidi denunciar. Eu fiquei com medo, mas temos que fazer isso por nós mesmas", salienta a jovem. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade