Publicidade

Correio Braziliense

Promessas de candidatos vão do preço de gás a número de pardais nas ruas

Os candidatos ao Palácio do Buriti saíram às ruas sem economizar nos juramentos em caso de vitória nas urnas. Ampliação do metrô e do BRT, redução de impostos e retomada de programas sociais estão na lista dos concorrentes


postado em 25/08/2018 07:00 / atualizado em 25/08/2018 12:09

Alberto Fraga se reuniu com lojistas e reclamou do efetivo da PM(foto: Alexandre de Paula/Esp. CB/D.A Press)
Alberto Fraga se reuniu com lojistas e reclamou do efetivo da PM (foto: Alexandre de Paula/Esp. CB/D.A Press)
Expansão do metrô, resgate de programas sociais, redução do preço do gás, diminuição do número de pardais nas ruas, implementação do BRT Norte e dezenas de outras promessas deram tom, ontem, às peregrinações dos 11 candidatos ao Palácio do Buriti. À procura de apoio nas urnas, a 44 dias do pleito de outubro, os concorrentes se desdobram para cobrir os quatro cantos do Distrito Federal. As agendas são divididas, ainda, entre gravação dos programas eleitorais, que vão ao ar entre 31 de agosto e 4 de outubro, e a atenção a demandas que possam encorpar os planos de governo.

Candidato do MDB ao Executivo local, Ibaneis Rocha dedicou-se, ontem, à divulgação de propostas com enfoque social. Em um dos discursos, disse que, se eleito, retomará programas populares em outros governos, como a Carreta da Mulher, a Carreta da Visão e o auxílio Pão e Leite, sem alterar a denominação original dos projetos. “O que é certo precisa permanecer. É Carreta da Mulher? Vamos trazer como Carreta da Mulher. É Pão e Leite? Vamos trazer como Pão e Leite. Na maioria das casas, é uma das únicas refeições com as quais a pessoa pode contar”, afirmou. Ibaneis mencionou as propostas em um encontro com representantes da carreira de apoio à Polícia Civil, no Clube da Agepol, prometendo “valorização”.
 
Rogério Rosso almoçou com produtores de eventos da capital federal(foto: Pedro Goulart /Comunicação PSD)
Rogério Rosso almoçou com produtores de eventos da capital federal (foto: Pedro Goulart /Comunicação PSD)
 
 
O deputado federal Alberto Fraga (DEM) iniciou a agenda com uma entrevista e, depois, mirou comerciantes da Feira dos Importados. Em reunião com lojistas e empresários, ouviu pedidos de criação de uma creche e de um de posto de saúde na região. O parlamentar prometeu realizá-los. Os feirantes ainda mencionaram a falta de segurança e requisitaram a instalação de um posto policial na região. “Precisamos contratar. O nosso efetivo foi de 16 mil homens e, hoje, temos 11,3 mil. Temos de aumentar e trazer o posto policial para cá”, defendeu. Ele também prometeu que, caso seja eleito, reduzirá pela metade o número de pardais. Acrescentou que a primeira medida de um eventual governo será acabar com o Instituto Hospital de Base.
 
Na Agepol, Ibaneis Rocha prometeu a valorização dos policiais civis (foto: Renato Alves / Divulgação)
Na Agepol, Ibaneis Rocha prometeu a valorização dos policiais civis (foto: Renato Alves / Divulgação)
 
 
O candidato do PSD ao Executivo local, Rogério Rosso, priorizou a discussão relativa à resolução de problemas em duas vertentes. Pela manhã, o deputado licenciado teve uma reunião com representantes da Associação Brasiliense das Empresas de Gás (Abrasgás). O principal objetivo era buscar meios para reduzir o preço do botijão de gás de cozinha, que custa até R$ 90. “Metade do gás usado no DF vem de Goiânia, e a outra, de Paulina (SP). Sempre por caminhões. Colocando para funcionar o gasoduto de Brasília e utilizando a linha de trem do DF, reduzimos em até 30% o valor do transporte”, afirmou. No almoço, Rosso conversou com produtores de eventos em um restaurante da 413 Sul, onde tratou da rigidez da Lei do Silêncio, tida pelo setor de entretenimento como um empecilho para o crescimento do cenário cultural na capital.
 
Eduardo Brandão (E), Rollemberg e Leila do Vôlei caminharam ontem pelas ruas de Buritizinho, em Sobradinho 2 (foto: Sergio Alberto / Divulgação)
Eduardo Brandão (E), Rollemberg e Leila do Vôlei caminharam ontem pelas ruas de Buritizinho, em Sobradinho 2 (foto: Sergio Alberto / Divulgação)
 
 

Metrô e hospitais

 
Candidato à reeleição, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) participou de um café da manhã e uma caminhada no Buritizinho, em Sobradinho 2. Depois, visitou Planaltina. Ele prometeu, após o fim das obras do Trevo de Triagem Norte, a implantação do BRT Norte, que faz a ligação Planaltina—Sobradinho—Plano Piloto, além de reformas no hospital regional da cidade. “Faremos a ampliação do Hospital Regional de Planaltina, aumentando o número de leitos, criando uma UTI e uma área de hemodiálise”, declarou. O socialista garantiu, ainda, a construção da Feira do Produtor na região, a construção de uma escola no Arapoanga e a conclusão do processo de regularização fundiária. Ele seguiu para um encontro com empresários em Águas Claras e, à noite, participou de uma roda de conversa com o Conselho de Mulheres Cristãs do Brasil, no Lago Sul.

A ex-distrital Eliana Pedrosa (Pros) fez uma visita à Rodoviária de Taguatinga  — a candidata pretende transferi-la para a QNM 10, onde seria construída, ainda, uma estação de metrô. Pela projeção, o local que, hoje, abriga o terminal, vai virar um estacionamento a fim de facilitar o acesso ao Centro Administrativo de Brasília (Centrad) e ao Estádio Serejão. “O projeto dará mais comodidade à população”, ressaltou.

A professora da Universidade de Brasília (UnB), Fátima Sousa (Psol), concedeu duas entrevistas a emissoras de rádio. Em uma delas, assumiu três compromissos com os moradores de Ceilândia: ampliação do metrô até o Setor O; melhorias no atendimento no hospital da cidade; e a criação de um centro cultural. Ela ainda participou de reunião com dirigentes do SindSaúde e panfletou pela Ceilândia.

Aposta do Novo, Alexandre Guerra reuniu-se com lideranças de associações do setor imobiliário. No encontro, o herdeiro do Giraffas reafirmou a intenção de reduzir tributos. “Vamos reverter de forma progressiva todos os aumentos de impostos feitos pelo governo”, disse. E emendou: “Pretendemos incentivar o setor privado e produtivo para que a gente gere renda, riqueza e para que novos negócios voltem a aflorar e acontecer aqui na nossa cidade, reduzindo burocracias e entraves”, completou.

O candidato do PT, Júlio Miragaya, reuniu-se pela manhã com estudantes da UnB e, em seguida, deu entrevista a uma emissora de rádio. À tarde, participou de uma caminhada na QR 406 de Samambaia. O ex-presidente da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) animou-se com a atenção dos eleitores, ao distribuir panfletos em que aparece ao lado da imagem de Lula. “A receptividade tem sido surpreendente. A nossa percepção é de que o Lula tem crescido muito aqui em Brasília”, contou.

Boca a boca e corpo a corpo


O candidato do PRP ao GDF, o general da reserva Paulo Chagas, participou de formatura do Dia do Soldado, promovida pelo Exército, no Setor Militar Urbano. No local, Chagas conversou com eleitores e com militares. No período da tarde, ele visitou o Sol Nascente, em Ceilândia, e fez corpo a corpo com a população. Pela manhã, o professor da rede pública Guillen (PSTU) participou de entrevista a uma rádio. “Estou em momento de boca a boca com políticos e militantes mais próximos do nosso partido, pedindo ajuda financeira e apoio para a distribuição de material de divulgação”, explicou. Renan Rosa (PCO) fez campanha ao lado de Rui Costa Pimenta, presidente nacional do PCO e candidato à Presidência da República. Eles participaram de uma plenária com militantes na sede do partido e, à noite, fizeram um debate no Sindicato dos Bancários de Brasília com o tema “A luta contra o golpe e as eleições”.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade