Publicidade

Correio Braziliense

Correio realiza debate com sete candidatos ao Palácio do Buriti

Os políticos terão a oportunidade de apresentar propostas e de confrontar adversários na corrida eleitoral


postado em 27/08/2018 06:18 / atualizado em 27/08/2018 08:09

(foto: CB/D.A Press)
(foto: CB/D.A Press)

Candidatos ao Palácio do Buriti terão a oportunidade de apresentar projetos e ideias para melhorar o Distrito Federal e discutir suas propostas com os rivais na corrida eleitoral. Na próxima terça-feira, o Correio Braziliense vai realizar um debate entre sete políticos na disputa pelo GDF. O encontro vai ser realizado no estúdio da TV Brasília e terá transmissão ao vivo pela rede de televisão, pelo Facebook e pelo YouTube do Correio, a partir das 17h. A edição impressa do jornal do dia seguinte terá uma cobertura detalhada das discussões e propostas apresentadas. Para os participantes do debate, o evento é a principal oportunidade da campanha para conquistar o eleitorado.

Os candidatos Alberto Fraga (DEM), Eliana Pedrosa (Pros), Fátima Sousa (PSol), Ibaneis (MDB), Miragaya (PT), Rodrigo Rollemberg (PSB) e Rogério Rosso (PSD) foram convidados para o debate e confirmaram presença. O jornal vai promover o debate com todos os políticos filiados a partidos com pelo menos cinco representantes no Congresso Nacional. Essa é uma determinação da Lei nº 13.488/2017, sancionada em 6 de outubro do ano passado, e mais conhecida como a minirreforma eleitoral. A regra vale para a transmissão de debates por emissoras de rádio ou televisão.

Para o candidato do DEM, Alberto Fraga, o evento é de grande relevância para os políticos e para os cidadãos que vão às urnas. “O debate mostra ao eleitor a verdade sobre candidatos, de forma muito mais relevante até do que as pesquisas. O telespectador vai poder perceber quem está falando demais, quem promete até terreno na Lua, e quem está com o pé no chão”, diz Fraga. “As propostas são a parte mais importante do debate, mas algumas perguntas acabam gerando confronto, e isso é normal. Desde que tudo ocorra com respeito e dentro dos limites da democracia”, acrescentou o deputado federal.

Eliana Pedrosa, representante do Pros na disputa pelo Buriti, lembrou que o eleitorado está pessimista com as eleições. “A população está muito descrente no nosso sistema político e, ao mesmo tempo, desesperançosa. Um debate promovido por um veículo de comunicação com tanta credibilidade é uma oportunidade para sermos ouvidos pelo povo e reacendermos na nossa gente a certeza de que podemos fazer mais e fazer melhor”, comentou a ex-deputada distrital. “Com o debate, vai ficar claro que o caminho da mudança passa necessariamente pela boa política e pelo cuidado com as pessoas. Será um debate muito produtivo e propositivo, tenho certeza”, finalizou Eliana.

A candidata do PSol, Fátima Sousa, diz que o encontro entre os candidatos permite uma comparação entre os políticos. “Os debates, pelo formato, nem sempre permitem um aprofundamento dos temas. Mas fazem com que o eleitor conheça os candidatos e dão elementos para o espectador ver quem é mais autêntico, e quem está fazendo pose”, justifica a professora da Universidade de Brasília. “Mas há candidatos combinando o jogo, justamente para não serem confrontados com sua história, com a velha política que praticam. Nós vamos de coração aberto, para mostrar que a nossa política tem menos promessas e mais propostas, para construirmos um governo com o povo, uma democracia de verdade”.

Futuro


O representante do MDB, Ibaneis Rocha, disse esperar “um debate de alto nível, com o detalhamento de propostas”. “Chegou a hora de a população saber o que os candidatos pensam e o que consta nos programas de governo. Precisamos sair dessa política de ataque, na qual há apenas ofensas e pegadinhas, e passar a discutir o futuro da cidade”, pontuou.

Para o candidato do PT ao governo, Júlio Miragaya, o debate ganha ainda mais importância “em tempos de fake news”. “Esse espaço é relevante para esclarecer a população, especialmente diante do volume de informações falsas que circulam na internet”, explica. “No debate, temos a oportunidade de apresentar as nossas propostas e de questionar as apresentadas por outros candidatos”.

O governador Rodrigo Rollemberg, candidato à reeleição, classifica o debate como “o momento mais importante da campanha”. “É a oportunidade de os candidatos se apresentarem sem máscaras”, explica o representante do PSB. “Nesse encontro, o eleitor tem a oportunidade de julgar os candidatos com muito mais elementos. Há um confronto de ideias e o contraditório acaba ajudando a esclarecer propostas demagógicas ou inviáveis, além de revelar aspectos da trajetória dos candidatos”, garante Rollemberg.

Rogério Rosso (PSD), deputado federal licenciado, afirma que o encontro dos candidatos é um espaço importante para a apresentação de propostas. Ele lamenta que alguns adversários usem a estratégia de partir para o ataque. “Debates, sabatinas e reuniões são fundamentais em uma campanha mais curta, de apenas 45 dias, e toda iniciativa da nossa imprensa que consiga promover um debate de alto nível é interessante. Mas temos adversários que estão mais preocupados em denegrir candidatos, e produzir mentiras e maldades, do que falar em propostas”, lamenta Rosso. “Espero que seja um debate em cima das propostas”.

Regras


O debate terá quatro blocos e será mediado pela editora-chefe da TV Brasília, Simone Souto. Na primeira etapa, jornalistas do Correio Braziliense farão pergunta para cada um dos candidatos e escolherão outro concorrente para comentar a resposta. Cada participante terá dois minutos para a resposta.

A ordem para as respostas foi sorteada previamente em reunião com os assessores dos candidatos. No segundo e no terceiro blocos, candidato pergunta para candidato. Cada um terá direito a um minuto para fazer pergunta a qualquer dos oponentes. O escolhido terá dois minutos para a resposta. O direito de réplica e de tréplica será concedido com o tempo de um minuto para cada uma das situações.

Cada candidato poderá ser escolhido até duas vezes em cada bloco. A ordem para as perguntas foi escolhida em sorteio prévio. Se houver candidato que não foi escolhido para resposta, ele falará durante dois minutos, sem direito a réplica e a tréplica. No quarto bloco, os candidatos terão dois minutos para fazer as considerações finais. Cada um terá dois minutos e a ordem também foi definida em sorteio prévio.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade