Publicidade

Correio Braziliense

Saiba o que os candidatos ao Palácio do Buriti farão no dia de hoje

A busca por votos ontem teve passeio de bicicleta, corpo a corpo e caminhadas. Também sobrou tempo para discussão de temas sensíveis à cidade, como mobilidade, funcionalismo e rede de proteção à mulher


postado em 28/08/2018 06:00

Rogério Rosso pedalou entre Varjão e SIA:
Rogério Rosso pedalou entre Varjão e SIA: "Interligação entre ciclovias" (foto: Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press )
Mobilidade urbana, segurança pública, infraestrutura, funcionalismo, rede de proteção à mulher: temas delicados da capital federal estiveram, ontem, entre as abordagens das campanhas dos 11 candidatos ao Palácio do Buriti. Em reuniões reservadas, caminhadas nas ruas ou pedaladas pela cidade, os postulantes ouviram demandas, projetaram soluções e fizeram uma lista de promessas ao eleitorado.

O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) mirou o segmento feminino, que representa 53,8% dos aptos a votar no Distrito Federal. Em reunião com o grupo Mulheres do Brasil, assegurou a criação de 50 mil vagas em creches e unidades de educação infantil, se reeleito. Prometeu, ainda, a construção de duas delegacias especializadas nas cidades com o maior número de registros de casos enquadrados na Lei Maria da Penha: Ceilândia e Planaltina.

Como chefe do Palácio do Buriti, comprometeu-se a enviar à Câmara Legislativa, ainda nesta semana, projeto de lei cujo texto permite a imposição do uso de tornozeleiras eletrônicas a autores de violência doméstica e familiar. “A proposta vai melhorar a fiscalização do cumprimento de medidas protetivas de urgência, ou seja, aumentará a proteção às mulheres e o controle do Estado”, pontuou.

A única agenda pública de Eliana Pedrosa (Pros) ontem ocorreu em uma caminhada, no Recanto das Emas. Segundo a postulante ao GDF, a maior queixa dos eleitores relaciona-se à saúde pública. “Primeiro, vamos fazer funcionar a UPA e os centros de saúde. Quando garantirmos isso, começaremos a levantar o hospital regional da cidade”, disse. A ex-distrital ainda projetou a construção de um viaduto na entrada da região.

Funcionalismo

Deputado federal licenciado, Rogério Rosso (PSD) priorizou o diálogo sobre funcionalismo e mobilidade. Em reunião com a Comissão de Aprovados no concurso de 2016 da Polícia Civil, responsabilizou-se pela nomeação de 219 profissionais caso a atual gestão não efetive as contratações. Ele reforçou que concederá a paridade salarial entre as polícias Civil e Federal e pagará a terceira parcela do reajuste a 32 categorias. O parlamentar chegou ao encontro após uma hora de pedalada entre Varjão e SIA, onde fica o escritório do PSD. “A ideia é ver de perto o que o cidadão passa no dia a dia. Se eleito, pretendo começar pela interligação entre ciclovias. Além disso, todas as novas vias do DF deverão contar com ciclovias e ciclofaixas.”

No único compromisso público do dia, Alberto Fraga (DEM) ouviu demandas de defensores públicos em uma confeitaria da Asa Sul. A categoria reivindicou sede própria, além de equiparação salarial com o Judiciário e recomposição do quadro. Fraga atestou a contratação de mais defensores, mas não garantiu reajuste. “Precisamos avaliar antes. Tem candidato prometendo aumentar salário no primeiro mês. Acho isso uma irresponsabilidade”, afirmou. O democrata também anunciou a criação de uma secretaria para cuidar da administração penitenciária.

Sem-terra

O advogado Ibaneis Rocha (MDB) usou a Rodoviária do Plano Piloto como palanque. Em horários distintos e acompanhado por dezenas de cabos eleitorais, o emedebista comeu tapioca, tomou café e criticou a estrutura e a falta de segurança do terminal. “É um monumento público muito importante para a população e está abandonado. Nós vamos fazer um projeto de revitalização para atender o nosso povo”, projetou.

Antônio Guillen (PSTU) participou do programa CB.Poder, parceria do Correio Braziliense com a TV Brasília, e, no fim da tarde, fez panfletagem no Centro de Ensino Fundamental 2 da Estrutural. Herdeiro da rede Giraffas, Alexandre Guerra (Novo) participou de reunião com representantes da associação que reúne os conselhos de profissões regulamentadas do DF (Ascop). O bancário Renan Rosa (PCO) visitou o Acampamento Sem-Terra Rosa Luxemburgo, em Samambaia.

Fátima Sousa (Psol) dedicou a segunda-feira à gravação de programas eleitorais e à preparação para o debate do Correio, hoje. O candidato do PRP, general Paulo Chagas, fechou a agenda em uma conversa on-line com o Grupo Conservador de São Paulo. Júlio Miragaya (PT) concedeu entrevistas a uma rádio.

Agenda dos candidatos ao Buriti

Alberto Fraga (DEM)
10h - Reunião com funcionários de empresa de segurança privada

Alexandre Guerra (Novo)
Das 11h30 às 12h30 - Entrevista

Antônio Guillen (PSTU)
15h - Reunião de planejamento de campanha

Fátima de Sousa (PSol) 
11h30 - Almoço com Guilherme Boulos, candidato à Presidência da República pelo PSol
20h - Conversa com a juventude ao lado de Guilherme Boulos, na 408 Norte

Ibaneis (MDB)
Das 9h às 10h - Caminhada no Sol Nascente, em Ceilândia

Miragaya (PT) 
13h - Gravação de programa eleitoral

Paulo Chagas (PRP)
8h30 - Café da manhã na Associação dos Gestores Públicos do DF (Adesp)
Das 14h às 18h - Entrega do Manifesto da Assespro
19h - Reunião com delegados da Polícia Civil

Rodrigo Rollemberg (PSB)
10h - Visita à Apae

Rogério Rosso (PSD) 
Das 9h às 10h - Caminhada no Jardim ABC, na Cidade Ocidental (GO

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade