Publicidade

Correio Braziliense

Debate: Rollemberg e Rosso batem boca sobre reajuste para servidores

Em debate promovido pelo Correio, Rosso chegou a chamar Rollemberg de 'mentiroso' depois que o governador chamou a proposta de reajuste do oponente de 'demagogia'


postado em 28/08/2018 20:05 / atualizado em 29/08/2018 11:40

Os candidatos participaram de debate realizado pelo Correio nesta terça-feira (28/8)(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Os candidatos participaram de debate realizado pelo Correio nesta terça-feira (28/8) (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

O debate entre os candidatos ao governo do Distrito Federal, realizado pelo Correio e pela TV Brasília, nesta terça-feira (28/8), ficou marcado pela discussão entre Rogério Rosso (PSD) e o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) sobre a possibilidade de dar reajuste aos servidores públicos da capital (veja no vídeo abaixo, já no ponto certo).

No segundo bloco, quando os candidatos dirigiam perguntas uns aos outros, Rosso chamou Rollemberg para o debate e iniciou sua pergunta prometendo, se eleito, dar reajuste à Polícia Militar e ao Corpo de Bombeiros no primeiro dia de mandato e criticou o governador pelo "achatamento dos salários" durante o atual mandato.
 
 
 
Rollemberg iniciou a resposta com ironia, dizendo que o Rosso deveria "ter como Secretário de Fazenda o Mágico de Oz ou o Papai Noel", alegando que, se realizado imediatamente o ajuste, como proposto por Rosso, o Distrito Federal "quebraria antes do aniversário de Brasília". Por fim, classificou a proposta como demagógica e mentirosa.

Rosso, então, chamou o governador de "mentiroso", alegando que os números expostos por Rollemberg sobre o reajuste seriam falsos e o culpando por deixar o Distrito Federal "no maior caos de serviços públicos da história".
 
Mesmo com o tempo de partitipação acabado, os candidatos tentaram ainda discutir, de forma exaltada, com os microfones já desligados, e tiveram que ser interrompidos pela mediadora do debate, Simone Souto.

No bloco seguinte, Rollemberg pediu direito de resposta por ter sido chamado de mentiroso, e aproveitou o tempo para reafirmar a veracidade de seus números sobre os funcionários do DF e declarou ter "apreço e respeito" pelos servidores públicos, além de ressaltar as medidas propostas e realizadas para a classe em seu governo.
 
 
 
*Estagiário sob supervisão de Humberto Rezende 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade