Publicidade

Correio Braziliense

Síndico some com R$ 80 mil do fundo de caixa de condomínio em Samambaia

A suspeita do desfalque no caixa surgiu após o sumiço do ex-responsável pelo prédio. Caesb cortou a água por falta de pagamento. A 32º DP (Samambaia) investiga o caso


postado em 30/08/2018 21:20 / atualizado em 03/09/2018 19:25

John Ferraz renunciou ao cargo de síndico e desapareceu(foto: Reprodução/Twitter)
John Ferraz renunciou ao cargo de síndico e desapareceu (foto: Reprodução/Twitter)
 
Um homem, identificado como John Ferraz, é acusado de ter desviado R$ 80 mil do fundo de caixa do Edifício Conquista, em Samambaia, onde ele era síndico. A quantia fazia parte das reservas destinadas à quitação de despesas condominiais. "Ele deixou apenas R$ 17 na conta do condomínio", afirma o novo síndico do prédio, José Carlos.

A suspeita do desfalque no caixa surgiu após o sumiço do ex-responsável pelo prédio. No dia 22, a Caesb pegou de surpresa os cerca de 150 moradores do residencial, que tiveram a água cortada pela falta de pagamento desde maio deste ano. Os condôminos alegam ter encontrado indícios dos desvios de John em extratos da conta do edifício: segundo eles, cerca de R$ 40 mil foram utilizados em despesas pessoais do ex-síndico, como gasolina e festas. 

Integrante do Conselho Fiscal do condomínio, Reijane Silva conta que o ex-administrador costumava omitir as contas para o fechamento do balancete mensal. "Sempre fazíamos várias reuniões para apresentação das contas, mas ele dizia que as empresas não estavam entregando os comprovantes ou que os mesmos já estavam na contabilidade", comenta. 

Pela escada


Não bastasse a falta d’água, os moradores do prédio de 10 andares temem ainda que os elevadores deixem de funcionar por causa de uma dívida de R$ 6 mil com a empresa Orona AMG Elevadores, prestadora do serviço. Moradores do edifício afirmam ter entrado em contato com a mulher do ex-síndico. "Ela garantiu que ele devolverá o dinheiro, mesmo que para isso ele precise vender o apartamento", disse um morador próximo a John, que preferiu não se identificar.

Por e-mail, o ex-síndico comunicou que sua renúncia ao cargo ocorreria devido à doença de um parente distante, que necessita de cuidados. Alguns dias depois, ele entrou em contato com um amigo e enviou selfies em que aparecia curtindo praia no Rio de Janeiro, o que despertou a ira dos condôminos. A 32º DP (Samambaia) investiga o caso.

* Estagiária sob supervisão de Roberto Fonseca

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade