Publicidade

Correio Braziliense

Projeto que acolhe e escuta vítimas de crimes começa em Ceilândia

A iniciativa do MPDFT oferecerá uma rede de proteção e acolhimento, primeiramente às vítimas de roubos ocorridos em Ceilândia


postado em 01/09/2018 11:00 / atualizado em 31/08/2018 22:57

Projeto
Projeto"Escutando o cidadão: diálogos com vítimas de delitos" busca dar um olhar mais humanizado para vítimas de processos criminais (foto: Kleber Lima/CB/D.A Press)
O projeto que busca dar um olhar mais humanizado para vítimas de processos criminais começou na última quinta-feira (30/8). A iniciativa “Escutando o cidadão: diálogos com vítimas de delitos” é realizada na Promotoria de Justiça de Ceilândia. 

Uma rede de proteção é oferecida às vítimas e os diálogos buscam orientar sobre a importância de sua participação no processo criminal. O espaço é aberto para que elas tirem suas dúvidas a respeito do ocorrido e são aconselhadas sobre como seguir em frente. 

A iniciativa começará em Ceilândia, com vítimas de roubos cujas ações estejam em uma das Varas Criminais da cidade. Os encontros são voluntários e abertos para que as vítimas retornem sempre que quiserem. Os atendimentos são realizados por facilitadores com formação em Justiça Restaurativa, de acordo com o MPDFT, uma alternativa mais completa para lidar com o fenômeno da criminalidade, priorizando o diálogo, a inclusão e a autorresponsabilização. 
 
Parte do Programa Permanente de Incentivo à Autocomposição do MPDFT, o projeto contará com a colaboração entre as Delegacias de Polícia, Tribunal de Justiça do DF e dos Territórios (TJDFT), Defensoria Pública e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade