Publicidade

Correio Braziliense

Rollemberg pretende investir em política pública para dependentes químicos

Na corrida pela reeleição ao Palácio do Buriti, atual governador do DF quer criar um centro terapêutico para pessoas em tratamento pelo uso de drogas


postado em 02/09/2018 12:45 / atualizado em 02/09/2018 14:05

"Não é custo investir em tratamento, mas economia. Vamos fazer uma política pública que seja referência para o Brasil", afirmou o governador (foto: Isa Stacciarini/CB/D.A Press)

Candidato a reeleição ao Governo do Distrito Federal (GDF), o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) esteve reunido com representantes de comunidades terapêuticas e dependentes químicos em tratamento neste domingo (2/9). Na ocasião, ele garantiu que o enfrentamento e o combate às drogas terão atenção central na próxima gestão.

"Não é custo investir em tratamento, mas economia. Vamos fazer uma política pública que seja referência para o Brasil. Nós vamos criar aqui no DF o Centro de Avaliação Terapêutica. Será uma política de estado e não de governo", garantiu. 

Ao mesmo tempo, ele relembrou do rombo de R$ 6 milhões quando assumiu o governo e R$ 3 milhões de dívidas, como salários atrasados e falta de pagamento de prestadores de serviço. "A política anti-drogas precisa ser absoluta, mas o estado sozinho para acolher e recuperar esse público não consegue. Por isso, é necessário ter humildade para buscar experiências em todos os sentidos", ressaltou. 

Aos ex-dependentes em tratamento, Rollemberg frisou a obstinação do público. "Vocês são valentes, corajosos e vitoriosos", ressaltou. "Poderíamos ter feito mais se estivéssemos escutado antes", frisou.

Ao lado do candidato a vice-governador Eduardo Brandão, ele ouviu o relato de um ex-dependente químico que saiu das drogas a partir do tratamento em uma comunidade terapêutica e se emocionou. Rollemberg também estava acompanhado do candidato a deputado distrital Henrique França, fundador da ONG Salve a Si.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade