Publicidade

Correio Braziliense

Denúncia de afogamento no Lago Paranoá mobilizará novas buscas

Acidente teria acontecido nas proximidades da Ponte Honestino Guimarães, local em que testemunhas disseram ter visto um homem se afogando


postado em 02/09/2018 19:47 / atualizado em 02/09/2018 22:00

A denúncia de um afogamento levou o Corpo de Bombeiros a iniciar buscas no Lago Paranoá. Entre a Ponte Honestino Guimarães e a Prainha dos Orixás, 25 militares participaram da operação. Testemunhas colaboraram com os mergulhadores, indicando locais para o suposto acidente.
 
O Corpo de Bombeiros acionou nove veículos e um helicóptero para varreduras. Também foi feito um trabalho submerso, em profundidade de até 6m. A mobilização, que começou às 16h30, foi interrompida às 18h30. A previsão é de que as buscas prossigam amanhã (3/9).
 
Entre os casos recentes de afogamento no Lago Paranoá, um ocasionou a morte do turista Giovanni Maurício de Souza, em 22 de julho. O rapaz, de 23 anos, contou com a pronta ação de socorristas, que estavam no local, em uma lancha. Giovanni pulou da Ponte Honestino Guimarães. Mas, mesmo com uma hora de tentativas de reanimação, ele não resistiu.
 
Em 29 de abril, o Corpo de de Bombeiros atuou em dois resgates, numa tarde de domingo. Primeiro, um grupo acionou a corporação por causa do desaparecimento de um jovem de 22 anos. Os bombeiros encontraram o corpo, a 2m de profundidade, na Barragem do Paranoá. A outra ação levou os bombeiros a localizarem um homem, que passou por um processo de reanimação no local do afogamento.
 
No Lago Norte, neste ano, houve dois afogamentos fatais: um deles, em 2 julho, morreu um homem na QL 06. Em 21 de agosto, o assessor parlamentar Aloísio Bergamim morreu na QL 09. No Deck Sul, uma moça morreu em 9 de abril. Há 40 dias, quatro jovens foram socorridas perto da Ponte JK.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade