Publicidade

Correio Braziliense

Criminosos furtavam e adulteravam carros no DF para revendê-los na Bahia

Treze pessoas foram presas pela Polícia Civil acusadas de participar do grupo especializado nas fraudes. Investigadores suspeitam que a quadrilha agiu durante um ano, chegando a revender aproximadamente 50 veículos


postado em 04/09/2018 19:47 / atualizado em 04/09/2018 19:49

Polícia estima que cerca de 50 veículos foram transportados para a venda ilegal no município baiano de Barreiras(foto: Divulgação/PCDF)
Polícia estima que cerca de 50 veículos foram transportados para a venda ilegal no município baiano de Barreiras (foto: Divulgação/PCDF)
Uma associação criminosa especializada em furto, roubo, desmanche, receptação e venda de veículos foi desarticulada no Distrito Federal. O líder do grupo agia no município baiano de Barreiras. Nesta terça-feira (4/9), houve 13 prisões, após um ano de investigação da Divisão de Roubos e Furtos de Veículos da Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Corpatri/PCDF). Cerca de 50 veículos foram revendidos. Durante o cumprimento dos mandados, 10 veículos foram recuperados, além de placas e peças automotivas. 

Segundo o delegado Eduardo Alencastro, responsável pela investigação, o grupo era organizado e caracterizado pela divisão estrutural de tarefas. As ações eram fragmentadas em duas modalidades básicas. A primeira tinha três núcleos de atuação: os que furtavam e roubavam os veículos; os que receptavam, ocultavam e adulteravam as placas; e, por fim, os atravessadores, responsáveis por encaminharem os veículos para a BR-20, onde ocorria o transporte até Barreiras. 
 
Dez veículos, além de placas e peças foram recuperadas durante o cumprimento de mandados de busca e apreensão(foto: PCDF/Divulgação)
Dez veículos, além de placas e peças foram recuperadas durante o cumprimento de mandados de busca e apreensão (foto: PCDF/Divulgação)
 

“No município baiano, o líder do grupo, identificado como Tony do Norte, recebia os carros. Depois, havia a articulação das vendas para moradores locais. Acreditamos que Barreiras foi escolhida por ter um mercado promissor de aquisição de veículos mais populares e de baixo valor”, explica o delegado.

A segunda modalidade da associação era o desmanche dos veículos em cidades do Distrito Federal e em Santo Antônio do Descoberto, no Entorno. As peças eram comercializadas em auto-peças de Taguatinga e Ceilândia.  “Acreditamos que, com a operação, conseguimos desconstituir essa organização”, afirma Eduardo Alencastro. 

A Operação Caminho Norte cumpriu 16 mandados de busca e apreensão e oito de prisão em Taguatinga, em Vicente Pires, em Ceilândia, no Recanto das Emas e na Candangolândia. Os demais detidos foram enquadrados em situação de flagrante. Eles foram autuados por receptação, adulteração de veículos e associação criminosa. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade