Publicidade

Correio Braziliense

Manifestantes se concentram na Esplanada durante o desfile de 7 de Setembro

Além dos manifestantes do Grupo dos Excluídos, cabos eleitorais aproveitam a concentração de pessoas para fazer campanha para candidatos do DF


postado em 07/09/2018 09:43 / atualizado em 07/09/2018 11:13

Manifestantes de esquerda se concentram próximo ao Museu Nacional(foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)
Manifestantes de esquerda se concentram próximo ao Museu Nacional (foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)
 

Manifestantes com bandeiras vermelhas e camisetas com os dizeres "Lula livre" já se reúnem na Esplanada dos Ministérios, próximo ao Museu Nacional, para realizar protestos durante o desfile. O movimento no local, de acordo com a Polícia Militar, envolve cerca de 60 pessoas.

 

O pesquisador Marcelo Medeiros, 47 anos, afirmou que o grande objetivo do Grito dos Excluídos é denunciar a exploração com a população e reforçar a luta contra os "golpistas" que tomaram o poder. "Nós avaliamos que Lula foi preso político e nossa bandeira é contra esse governo golpista", ressaltou. Entre outras bandeiras, defendeu a revogação das reformas implementaras durante os dois últimos anos, que, segundo ele, favorece apenas o mercado financeiro. "Tudo precisa ser revogado", defendeu Marcelo.

 

O Grito dos Excluídos deste ano defende a revogação da Emenda Constitucional 95 (teto dos gastos), o fim da violência contra as mulheres e a soltura do ex-presidente Lula. Ajudaram a organizar a manifestação o PT, o PSOL e o PCO. Além dos grupos declaradamente de esquerda, transitam pelo local pessoas com camisas pretas com o rosto do deputado Jair Bolsonaro, esfaqueado durante um comício em Juiz de Fora (MG) na tarde desta quinta (6/9).

 

Correlegionários do candidato à presidência Jair Bolsonaro também transitam pela região(foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)
Correlegionários do candidato à presidência Jair Bolsonaro também transitam pela região (foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)

Do lado de fora das arquibancadas, concentram-se os que não conseguiram lugar e cabos eleitorais de candidatos, que aproveitam a concentração para distribuir folhetos e fazer campanha.

 

Arquibancadas lotadas 


A família de Lucilene e Rodrigo Mesquita, 34 e 40 anos respectivamente, saiu de Águas Lindas de Goiás para assistir ao desfile. O casal chegou com os filhos Lucas e Vitória Rodrigues Mesquita, 10 e 4 anos, as 8h e não conseguiram acessar às arquibancadas.

"Eu queria ver o desfile, os aviões e os cavalos, mas não conseguimos entrar", contou o menino de 10 anos. Alguns subiram em árvores para acompanhar a celebração.


Curiosos escalam a grades da arquibancada para assistirem ao desfile(foto: Isa Stacciarini/CB/D.A Press)
Curiosos escalam a grades da arquibancada para assistirem ao desfile (foto: Isa Stacciarini/CB/D.A Press)

Um telão instalado no gramado central da Esplanada reproduzia o desfile ao vivo, apesar disso, houve quem escalasse a estrutura das arquibancadas assistir o desfile. Além de adultos, crianças se arriscavam para conseguir um espaço que proporcionasse melhor visão do espetáculo.

Ver galeria . 16 Fotos Ed Alves/CB/D.A Press
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press )

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade