Publicidade

Correio Braziliense

Apenas quatro dos 11 postulantes ao Buriti compareceram ao desfile

Poucos candidatos aproveitaram o público de 30 mil pessoas na Esplanada dos Ministérios para fazer panfletagem e pedir votos. A maioria dos concorrentes ao Palácio do Buriti participou de reuniões com diversas categorias


postado em 08/09/2018 08:00

O governador Rodrigo Rollemberg fez caminhada no Deck Sul(foto: Sergio Alberto/Assessoria Rollemberg)
O governador Rodrigo Rollemberg fez caminhada no Deck Sul (foto: Sergio Alberto/Assessoria Rollemberg)
Os candidatos ao Palácio do Buriti deixaram de explorar o potencial de votos no desfile cívico-militar do Dia da Independência, na Esplanada nos Ministérios. Apenas quatro dos 11 postulantes compareceram à parada e, ainda assim, não panfletaram ou investiram no corpo a corpo nas imediações do local. Os demais concorrentes aproveitaram o feriado para mirar segmentos específicos em busca de apoio nas urnas, como lideranças cristãs e produtores rurais, ou cumprir agendas internas.

A ex-distrital Eliana Pedrosa (Pros), que conta com a benção do clã Roriz, dedicou o dia a agendas no Setor Habitacional Pôr do Sol, uma das áreas mais carentes de Ceilândia. Pela manhã, participou da inauguração do comitê de Dedé Roriz, sobrinho do ex-governador. Em discurso, assegurou a regularização da região. “A legalização traz a urbanização e o saneamento”, frisou. A candidata prometeu, ainda, a construção de creches e escolas caso seja eleita para o GDF. “Ainda não há levantamento sobre a quantidade. Precisamos ver a disponibilidade de locais para avançar, mas queremos entregar pelo menos duas creches aqui”, completou.

O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) marcou presença no desfile como representante do Distrito Federal. A agenda de campanha à reeleição começou à tarde, com almoço no Pôr do Sol. Em seguida, o socialista seguiu para o Deck Sul, onde panfletou e conversou com eleitores. No local, afirmou que pretende dar continuidade ao Projeto Orla Livre, por meio de investimentos em infraestrutura, iluminação e transporte público. “As pessoas estão se apoderando da orla, um dos lugares mais bonitos de Brasília. Não temos duas categorias de cidadãos. Todos têm direito de usufruir das margens do Lago Paranoá”, disse.

Em almoço com líderes religiosos, o deputado federal licenciado Rogério Rosso (PSD) destacou a necessidade de um “governo parceiro das igrejas”. A ideia é firmar convênios com os templos para atender às demandas da população. “As vagas que não conseguirmos ofertar na rede pública em creches, por exemplo, disponibilizaremos por meio de parcerias com igrejas e instituições com espaço, condições de conforto e segurança”, explicou. O parlamentar mencionou, ainda, a implementação de um gabinete no Buriti para cuidar de assuntos relativos ao desenvolvimento econômico de cidades do Entorno.

O deputado federal Alberto Fraga (DEM) cancelou três agendas ontem. Em uma das poucas reuniões do dia, ouviu demandas de agentes comunitários de saúde, como a retirada da pauta de votação da Câmara Legislativa de um projeto que prevê contratações pelo regime CLT e, não, estatutário. “Pediram, ainda, a quitação de gratificações, a aplicação do pagamento de insalubridade e a aplicação do piso salarial nacional. Marcamos uma reunião com toda a categoria para vermos o que pode ser feito”, explicou o parlamentar.

Produtores

O petista Júlio Miragaya passou a manhã no Assentamento Contagem, próximo à Fercal, onde ouviu demandas e apresentou propostas aos produtores rurais. “Reivindicaram o apoio do governo para comercialização dos produtos, asfaltamento até a entrada e melhorias no transporte público. São demandas simples, que podem ser atendidas com facilidade”, pontuou o candidato. Após o compromisso, participou do Grito dos Excluídos, na Esplanada dos Ministérios.

O militar reformado general Paulo Chagas (PRP) e o bancário Renan Rosa (PCO) não tiveram compromissos, além da celebração da independência do Brasil. A professora da Universidade de Brasília (UnB) Fátima Sousa dedicou o dia a encontros com apoiadores de Ceilândia e Samambaia Sul. O ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no DF (OAB/DF) Ibaneis Rocha (MDB) cumpriu agendas internas. O professor da rede pública Guillen (PSTU) e o empresário Alexandre Guerra (Novo) não retornaram as ligações da reportagem.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade