Publicidade

Correio Braziliense

Eliana Pedrosa faz campanha na Feira do Produtor em Vicente Pires

A candidata fez críticas à Agefis e conversou com os feirantes sobre o comércio ilegal dos ambulantes na região


postado em 08/09/2018 13:25 / atualizado em 08/09/2018 14:35

A candidata Eliana Pedrosa fez duras críticas à Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis)(foto: Mariana Machado/Esp D.A/CB)
A candidata Eliana Pedrosa fez duras críticas à Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis) (foto: Mariana Machado/Esp D.A/CB)
 
Foi convidando mulheres ao voto e com duras críticas à Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis), que a candidata do Pros ao GDF, Eliana Pedrosa, fez campanha na manhã deste sábado (8/9). Ela esteve na Feira do Produtor em Vicente Pires, onde visitou os stands, acompanhada do candidato ao Senado pelo PMN Juiz Everardo. 
 
Entre as propostas da candidata está a entrega de saneamento e regularização para Vicente Pires, além de creches, escolas e delegacia para a Vila São José. Para a candidata, faltaram critérios na fiscalização feita pelo GDF. "O nome Agefis da arrepio a quem ouve. Vamos criar uma secretaria de fiscalização e botar em ordem", prometeu.
 
"Os governos anteriores deixaram esse crescimento desordenado e não dá agora para sair derrubando", completou. Na opinião da candidata, faltaram critérios na atuação do órgão. "A Agefis escolhe o que vai derrubar, não há isonomia. Tem que ser feita uma identificação do problema de cada um", disse.
 
Os feirantes questionaram a concorrência com ambulantes que atuam nas proximidades. A candidata disse que vai cadastrar esses comerciantes como microempreendedores individuais e encontrar espaços adequados para eles trabalharem.
 
"A forma que atuam sem legalização é melhor do que estar no crime, mas vamos encontrar uma solução disciplinar para eles. Achar espaços que não sejam tão próximos ao comércio", afirmou Eliana.
 
Para o presidente da Associação dos Feirantes, Fernando Freitas, 51, a candidata é a melhor opção e ele deve levar o apoio aos colegas. "É uma concorrência desleal, porque eu pago meu imposto, gero renda para o governo e quem está lá fora consegue cobrar bem mais barato. As pessoas só vem quando precisam de voto. O político tem que estar presente. Há um mês o Rollemberg veio aqui e foi vaiado", declarou o empresário.

A agenda da candidata segue até às 21h quando deve visitar a Festa do Morango em Brazlândia.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade