Publicidade

Correio Braziliense

Motorista atropela cadeirante e testemunhas tentam linchá-lo

Homem de 36 anos atropelou cadeirante na noite de segunda-feira (10/9), em Ceilândia, e testemunhas contaram que ele estava dando "cavalo de pau" na pista


postado em 11/09/2018 12:10 / atualizado em 11/09/2018 12:10

Ocorrência foi registrada na 23ª Delegacia de Polícia(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Ocorrência foi registrada na 23ª Delegacia de Polícia (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Um motorista atropelou um cadeirante em Ceilândia na noite desta segunda-feira (10/9). De acordo com testemunhas que passavam pelo local, o homem apresentava sinais de embriaguez e estava praticando manobra irregular com o veículo, conhecida como "cavalo de pau". Após o acidente, moradores se revoltaram e começaram a agredir o motorista. O caso aconteceu na na EQNN 5/7 e, ao ser preso, se negou a passar pelo teste do bafômetro, segundo o Centro de Comunicação Social da Polícia Militar (CCSPM).

Testemunhas relataram à PM que tudo aconteceu às 23h40, quando o suspeito, de 36 anos, percorria as quadras de Ceilândia Norte com um Chevrolet/Corsa, até que acabou atingindo cadeirante, de 58. De acordo com as informações da Divisão de Comunicação da Polícia Civil (Divicom), o motorista precisou de atendimento médico após sofrer agressões.

A vítima do atropelamento foi encaminhada pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) para o Hospital Regional de Ceilândia e passa bem. Depois de ser atendido no hospital de Ceilândia, o motorista foi conduzido ao Instituto de Medicina Legal (IML) para exames e, posteriormente, à 23ª Delegacia de Polícia (P Sul), onde foi registrada a ocorrência.
 
Na delegacia, o acusado negou que estivesse dando "cavalo de pau" na rua. Disse que estava com o carro estacionado na via e não percebeu o cadeirante passando atrás quando deu marcha ré.  Ainda de acordo com a Polícia Civil, ele disse também que desceu do carro para prestar os primeiros socorros, mas foi agredido por pessoas que estavam próximas, assim que saiu do veículo. Apesar dos testemunhos, os policiais civis informaram que a ocorrência policial não registrou a suspeita de embriaguez ou as manobras irregulares. Por isso, o homem não foi detido.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade