Publicidade

Correio Braziliense

Na disputa pelo Senado no DF, Cristovam e Leila do Vôlei estão na ponta

Izalci Lucas e Chico Leite aparecem tecnicamente empatados em terceiro lugar. O número de candidatos é recorde nas eleições da capital federal. Até agora, 19 seguem na corrida


postado em 12/09/2018 05:53

 Cristovam e Leila do Vôlei lideram corrida ao Senado no DF(foto: CB/D.A PRESS)
Cristovam e Leila do Vôlei lideram corrida ao Senado no DF (foto: CB/D.A PRESS)
Cristovam Buarque (PPS) é o líder da corrida pelo Senado. O candidato à reeleição tem 28,9% das intenções de voto, segundo pesquisa encomendada pelo Correio Braziliense e realizada pelo Instituto Opinião Política. Na sequência, aparece Leila do Vôlei (PSB), com 24,1% das citações. Cada entrevistado escolheu dois nomes para o cargo. Por isso, a soma de todos os votos alcança 200%. Como este ano serão renovadas duas vagas de senadores, Cristovam e Leila estariam eleitos, caso o pleito fosse hoje.

O número de candidatos ao Senado é um recorde na história das eleições da capital federal — 20 políticos se registraram para a disputa. O número, entretanto, caiu para 19, pois Walisson Nascimento (PTB) desistiu da candidatura. Aliado de Eliana Pedrosa, ele resolveu se dedicar à campanha da ex-distrital. Walisson aparece na sondagem do Correio porque, até o início do levantamento, seu nome ainda constava entre os candidatos listados pela Justiça Eleitoral. O número de concorrentes a senador ainda pode diminuir, porque, na última segunda-feira, o Tribunal Regional Eleitoral suspendeu o registro das candidaturas do Partido da Causa Operária (PCO). Com isso, Danilo Matoso corre o risco de ficar fora do rol de postulantes ao Senado.

Ainda segundo a pesquisa do Correio, o deputado federal Izalci Lucas (PSDB) está em terceiro lugar, com 19,8% das menções dos eleitores, tecnicamente empatado com o deputado distrital Chico Leite, da Rede, com 18,6%. O petista Wasny de Roure, atual deputado distrital, aparece na sequência, com 10,5% das intenções de voto.

Em sexto lugar da corrida ao Senado está Fadi Faraj, do PRP. O pastor, líder da Comunidade Cristã Ministério da Fé em Brasília, tem 5,1% das intenções de voto, de acordo com o levantamento feito entre 7 e 10 de setembro. Na sequência aparece o professor de direito da Universidade de Brasília Marcelo Neves, do PT, que foi citado por 4,4% dos entrevistados da pesquisa.

O advogado Paulo Roque, representante do Novo, tem 3,9% das intenções de voto. A candidata Professora Amábile (PR) registrou 3,7% das intenções de voto. Logo depois aparece o nome do representante do PRTB na disputa, brigadeiro Átila Maia, com 3,0% das menções do eleitorado. Já Hélio Queiroz, do PP, que integra a chapa do candidato ao GDF Ibaneis Rocha (MDB), tem 2,6% das intenções de voto.



Marivaldo Pereira, do PSol, aparece na sequência, com 2,1% das citações das pessoas consultadas. O juiz Everardo Ribeiro (PMN), 1,9%. O jornalista Chico Sant’anna (PSol) alcançou 1,9% das menções na pesquisa e Walisson Nascimento, apesar de ter deixado a disputa, ficou com índice de 1,0%.

O empresário Fernando Marques (SD), que é um dos grandes financiadores da campanha deste ano, teve 1,2% das intenções de voto, seguido por Romilda Teixeira (PSDB), com 1,1%. Danilo Matoso (PCO) registrou 1,0%, João Pedro Ferraz (PPL) teve 0,9Ús citações e o candidato do PSTU, Robson, aparece também com 0,9% das intenções de voto. Em relação ao primeiro voto ao Senado, 17% dos eleitores disseram que vão votar nulo ou em branco e 9% não souberam avaliar. No segundo voto, o percentual de quem não quer nenhum candidato sobe para 15,4% e 21,9% ainda não escolheram. Esses dados mostram que ainda é grande o número de pessoas indecisas, o que pode trazer mudanças no cenário nas próximas sondagens eleitorais.

Em 7 de outubro, os eleitores da capital federal vão renovar duas das três cadeiras — Hélio José (Pros) e Cristovam encerram o mandato e José Antônio Reguffe (sem partido) continua no Senado até 2022.

Na primeira pesquisa realizada pelo Correio, aparecia o nome do ex-vice-governador Paulo Octávio, do PP. Mas ele desistiu de disputar o Senado logo depois do início da coleta dos dados. Desta vez, o nome de Paulo Octávio não aparece mais na lista, mas isso pode mudar, já que ele tem sido cortejado a voltar para a corrida eleitoral. Integrante do grupo político de Ibaneis, ele poderia retomar a candidatura, caso algum postulante ao cargo da chapa desista da posição. Romilda Teixeira, do PSDB, não apareceu na primeira sondagem porque seu registro só foi feito às vésperas do fim do prazo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade