[an error occurred while processing this directive] Pai é acusado de matar bebê de seis meses com um tiro no peito - Cidades
Publicidade

Correio Braziliense

Pai é acusado de matar bebê de seis meses com um tiro no peito

Homem, de 26 anos, teria ficado irritado com o choro da criança e disparou uma garrucha calibre 22 contra o menino, que estava no berço. Ao serem detidos, o pai e a mãe da criança admitiram uso de drogas antes do crime


postado em 12/09/2018 10:03 / atualizado em 12/09/2018 12:19

Bebê de seis meses foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas não resistiu ao ferimento(foto: Fernando Lopes/CB/D.A Press.)
Bebê de seis meses foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas não resistiu ao ferimento (foto: Fernando Lopes/CB/D.A Press.)
Um pai é suspeito de assassinar o próprio filho, um bebê de seis meses, nesta madrugada (12/9). O homem teria disparado contra o peito da criança, que estava no berço, após se irritar com o choro dela. O crime aconteceu às 4h, no bairro Jardim Ingá, bairro de Luziânia (GO), distante 16km da divisa entre o Distrito Federal e Goiás.

As investigações preliminares da Polícia Civil de Goiás apontam que o pai e mãe do bebê teriam saído de casa para consumir drogas. Ao voltarem, o homem, de 26 anos, começou a se irritar com o choro do filho no berço e foi buscar sua arma, uma garrucha calibre 22, semelhante a uma pistola, para atirar nele. 

A criança foi alvejada na altura do tórax e encaminhada pelos própios pais para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da região, mas já chegou ao hospital sem vida. Logo em seguida, a Polícia Militar foi até o casal para apurar o caso e, segundo a Polícia Civil goiana, eles confessaram que o tiro no bebê foi disparado pelo homem.

Imagens do local mostram duas manchas de sangue no berço do menino. A mãe, de 20 anos, admitiu aos militares que houve uso de entorpecentes na mesma noite, mas alegou ter tentado impedir o assassinato. O autor do tiro já tinha passagem criminal por receptação qualificada, caracterizada por adquirir, receber, transportar, conduzir ou ocultar um produto de crime. 
 

Filhas agredidas na Estrutural

Em outro caso de violência praticada por responsáveis, dois foram presos na Vila Estrutural por agressões às filhas, de 8 e 14 anos. O crime foi registrado na noite de terça-feira (11/9), por volta das 23h, quando as meninas fugiram para a casa de um vizinho pedindo socorro. Ele chamou a polícia e os militares interrogaram a mãe e o padrasto das crianças, que negaram as acusações. 

As duas vítimas relataram que eram agredidas com frequência pela mãe, com fios e cabos de carregador de telefones celulares, e ameaçadas pelo companheiro dela. Na última ameaça, a garota mais velha contou à PM que ele havia dito que “cortaria sua cabeça e penduraria na grade da casa”. O casal foi preso em flagrante na mesma noite.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade