Publicidade

Correio Braziliense

Candidato a distrital se envolve em briga e tenta esfaquear comerciante

O caso ocorreu na Feira do Paranoá, após uma discussão por conta de uma venda de celular. Homem acabou detido na 6ª DP


postado em 14/09/2018 18:57 / atualizado em 14/09/2018 20:08

Sulivan Ribeiro, colega do comerciante com quem o candidato discutia, tentou segurar o agressor e acabou ferido(foto: Sarah Peres/Esp D.A/Correio Braziliense )
Sulivan Ribeiro, colega do comerciante com quem o candidato discutia, tentou segurar o agressor e acabou ferido (foto: Sarah Peres/Esp D.A/Correio Braziliense )
Dois comerciantes da Feira do Paranoá acusam um candidato a deputado distrital de tentar esfaqueá-los, nesta sexta-feira (14/9). Edivaldo Albuquerque (MDB) teria exigido que os vendedores devolvessem uma quantia gasta na banca onde eles trabalham consertando celulares. Diante da negativa, o postulante a uma vaga na Câmara Legislativa teria sacado um canivete e ferido uma das vítimas, que foi levava ao Hospital Regional do Paranoá, sem gravidade. 

 

O caso aconteceu por volta das 12h. O comerciante Gleisson Vale da Silva, 30 anos, relata que estava na banca quando o candidato chegou. "Ele comprou um celular comigo por cerca de R$ 500, alguns dias atrás. Hoje, estava aparentemente bêbado e exaltado. Disse que o aparelho estava com problema e exigiu que eu o consertasse naquela mesma hora, mas eu estava com outros serviços no momento", relembra. "Então ele disse que queria o dinheiro de volta e eu concordei. Mas, como ele estava alterado, começou a avançar para cima de mim, invadindo a minha banca", argumenta Gleisson. 

 
No meio da discussão, Edivaldo  teria usado o canivete. Diante da situação, o colega, e também vendedor, Sulivan Ribeiro, 35, segurou o homem. "Eu separei a briga e comecei a levá-lo para fora da feira. Mesmo assim, o candidato conseguiu soltar um dos braços e me cortou. Depois foi embora. Eu disse para o Gleisson para irmos até a delegacia, para termos proteção, caso ele voltasse novamente", disse Sulivan.
 
A dupla acionou a Polícia Militar, que chegou a realizar patrulhamento pela área, atrás do acusado, mas o candidato não foi encontrado. As vítimas foram à 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá), onde registraram um boletim de ocorrência.
 
Posteriormente, o candidato também compareceu à delegacia e acabou detido. No bolso dele foi encontrado o canivete usado para ferir Sulivan. O Correio procurou a defesa do acusado, mas não conseguiu contato até a última atualização desta reportagem.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade