Publicidade

Correio Braziliense

Encontro de mulheres negras do DF discute racismo e violência

O evento ocorre neste sábado, das 8h30 às 19h, na Escola Parque 313/314 Sul


postado em 14/09/2018 22:40

(foto: Divulgação)
(foto: Divulgação)

Racismo, sexismo e opressão são os principais temas que serão abordados durante o 2º Encontro Distrital de Mulheres Negras. Aproximadamente 100 ativistas vão participar do evento, que ocorre neste sábado (15/9), das 8h30 às 19h, na Escola Parque 313/314 Sul. 

O encontro vai abordar os 30 anos do movimento de mulheres negras no DF. O primeiro ocorreu em ocorrido no ano de 1988, em Valença, no Rio de Janeiro. O objetivo das discussões é elaborar os próximos passos e desafios para o ativismo local. Também será eleita uma delegação para participar do encontro nacional, que vai reunir mil militantes, em dezembro, em Goiânia. 

As atividades começam com a acolhida das Yabás, conduzida pela Ialorixá Betinha de Oxum, que estará acompanhada de duas percursionistas negras. Em seguida, a cantora e compositora Marina Andrade fará a abertura da programação cultural com canção de autoria própria que homenageia umas mulheres negras icônicas na luta pela liberdade da escravidão.
 
(foto: Divulgação)
(foto: Divulgação)
 
Durante a conferência, será feita uma avaliação política sobre o protagonismo do movimento de mulheres negras, processos de luta, resistência e construção de estratégias contra o racismo, o machismo e outras formas de opressão às afro-brasileiras. Haverá rodas de conversa sobre os temas para provocar debates e reflexões sobre a situação das mulheres negras no DF. Questões como economia, política, saúde, educação, mobilidade urbana, moradia e juventude integram a programação de conversa. 

Uma avaliação sobre o protagonismo e resistência da mulher negra será explorada por Graça Santos, representante do DF no Encontro Nacional de Mulheres Negras e integrante da Frente de Mulheres Negras do DF e Entorno, e por Ieda Leal, integrante da Executiva de Goiânia do Encontro Nacional de Mulheres Negras e coordenadora nacional do Movimento Negro Unificado – MNU.

O encerramento terá pocket show de Vera Verônika, outro nome tradicional das mulheres negras nas artes e cultura do DF.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade