Publicidade

Correio Braziliense

Primeiro médico a se instalar em Brasília, Edson Porto morre aos 86 anos

O doutor Edson Porto sofria com um câncer e deixa mulher, cinco filhos e 11 netos. O velório será realizado a partir das 12h e o sepultamento, às 17h, no Campo da Esperança da Asa Sul


postado em 18/09/2018 11:15 / atualizado em 18/09/2018 12:22

Edson Porto, ao lado da esposa, Marilda, em 2012(foto: Arquivo pessoal)
Edson Porto, ao lado da esposa, Marilda, em 2012 (foto: Arquivo pessoal)

Primeiro médico a se instalar em Brasília, ainda durante a construção da cidade, Edson Porto morreu aos 86 anos, na madrugada desta terça-feira (18/9), em decorrência de um câncer descoberto há apenas três semanas. O velório será realizado a partir das 12h, com o sepultamento às 17h, no Cemitério Campo da Esperança na Asa Sul. 

 
"Meu pai, Edson Porto, é um exemplo de dedicação e competência que sempre guiará meus passos. Sempre fez tudo com bom humor e leveza, atendendo a todas as pessoas com amor", descreve o filho caçula, Mauro Porto. "Sua história de vida, a superação e a maneira de enxergar as coisas e as pessoas são suas melhores marcas. É o jeito Edson de ser, como sempre bricamos. Nunca esqueceremos seus exemplos", completa.  
 
Mineiro, o doutor Porto foi para o Rio de Janeiro estudar medicina. Depois de formado, mudou-se para Goiânia, onde trabalhou no Hospital Rassi como pediatra. Quando as obras de Brasília começaram, o Instituto de Aposentadoria e Pensão dos Industriais (IAPI), em parceria com a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap), fechou um convênio com o hospital para prestar assistência médica aos operários.
 
Em entrevista ao Correio em 2011, Edson contou sobre uma endemia de diarreia na cidade.  “Eu sempre ia a Luziânia comprar enteroviofórmio, até que um belo dia não encontrei mais nenhum comprimido. Aí o farmacêutico, o Moura, me disse: ‘Teve um senhor aqui que comprou todo o estoque’. Descobri que o cozinheiro do Saps, um italiano, tinha comprado os medicamentos. Ele estava colocando o enteroviofórmio no feijão para prevenir da diarreia. Costumo dizer que ele foi o primeiro sanitarista de Brasília”, brincou Porto. 
  
Ver galeria . 7 Fotos Edson Porto, primeiro médico de Brasília, em frente ao prédio do Catetinho, em 1960 Arquivo pessoal
Edson Porto, primeiro médico de Brasília, em frente ao prédio do Catetinho, em 1960 (foto: Arquivo pessoal )
 

 
Postinho de madeira 

Assim, Porto chegou a Brasília em 1956, com 25 anos, atendendo um convite do próprio presidente Juscelino Kubitschek, para administrar um posto de saúde até que fosse inaugurado o primeiro hospital da região — o Hospipal Juscelino Kubitschek de Oliveira (HJKO), que funcionaria até 1974 onde hoje está o Museu Vivo da Memória Candanga.
 
No postinho de madeira, em meio a um acampamento de dezenas de operários, Porto realizou exames médicos de admissão e atendeu inúmeras emergências. Com o HJKO pronto, ele se tornou o diretor da unidade e instalou-se definitivamente em Brasília, onde exerceu a especialidade de pediatria até se aposentar aos 60 anos. Trabalhou sempre como pediatra e aposentou-se aos 60 anos.

Na capital, também fundou a Federação Brasiliense de Sinuca, uma de suas paixões, ao lado da marcenaria e da pintura. Ele chegou, ainda, a ser violinista da Orquestra Sinfônica de Brasília. Na capital, também se casou com Marilda, teve cinco filhos e 11 netos. Recentemente, gostava de se manter informado acessando a internet por meio do tablet.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade