Publicidade

Correio Braziliense

Candidato Alexandre Guerra, do Novo, diz ter fé que chegará ao 2º turno

Em entrevista ao CB Poder, ele defendeu diminuição de custos no governo, incentivo ao empreendedor, e o combater às "velhas políticas"


postado em 18/09/2018 15:31 / atualizado em 18/09/2018 16:29

Alexandre Guerra, que reúne 3,8% das intenções de voto, disse não acreditar nas pesquisas(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Alexandre Guerra, que reúne 3,8% das intenções de voto, disse não acreditar nas pesquisas (foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
 

Com 3,8% das intenções de voto, segundo levantamento encomendado pelo Correio, o candidato ao GDF Alexandre Guerra (Novo) afirma "ter fé" de que chegará ao segundo turno para o Buriti. Em entrevista ao CB Poder, programa do jornal em parceria com a TV Brasília, na tarde desta terça-feira (18/9), o candidato defendeu diminuição de custos no governo, incentivo ao empreendedor, e o combater às "velhas políticas" do governo.

"Quem está fazendo diferente? Praticando atos diferentes? Os outros (candidatos) são todos iguais. Todos conectados. A gente vive um sistema", afirmou Guerra. Questionado sobre a porcentagem, Guerra disse "não acreditar nas pesquisas". Sobre o que pretenderia fazer, caso não ganhasse as eleições, o candidato respondeu que a "única opção" é ser governador.  "É fé no caminho que a gente está levando. Tenho fé de que vamos conseguir chegar no segundo turno, e ao chegar lá, ganhar. A cidade precisa. Não dá para esperar mais  quatro anos", afirmou. "Se não acreditam nisso, vão se surpreender. Eu estou vendo que Novo está crescendo. Eu acho um absurdo o Ibaneis (MDB) dizer que é novo na política, sendo que está dentro de um partido cheio de corrupção", completou.

Na área econômica, o candidato do Novo defende incentivo a grandes empresas, e investir no pequeno comercial "que, em sua maioria, é o que mais emprega". Sobre a integração das polícias, Guerra acredita que cada uma tem o próprio papel. No caso da Polícia Civil, investigar, e a Militar, o trabalho ostensivo. "O que tem que juntar os dois? O sistema de dados, claro. O cidadão tem direito a isso", disse.

Sobre o Instituto Hospital de Base, Guerra disse que é necessário avaliar o resultado. "A avaliação do resultado no número de cirurgias e leitos são incríveis. Há falhas que precisam ser corrigidas, mas fazer promessa de acabar com ele só para ganhar voto é exatamente a política que a gente combate", criticou.

A desobstrução da Orla do Lago Paranoá também foi criticada pelo candidato. Essa é ação mais defendida pelo atual governo de Brasília.  "Acho um absurdo o jeito que foi feito. Fazer isso sem colocar nada em contrapartida. Está tudo abandonado, virou ponto de drogas. Se fosse feito de forma planejada, eu poderia ser a favor", afirmou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade