Publicidade

Correio Braziliense

Adolescentes eram exploradas em casa de prostituição em Ceilândia

Um homem e uma mulher foram presos acusados de administrar a prática ilegal. No bar em que ocorria o crime, um bar em Ceilândia, ainda eram vendidas drogas


postado em 18/09/2018 18:04 / atualizado em 18/09/2018 18:04

(foto: Maurenilson Freire/CB/D.A Press)
(foto: Maurenilson Freire/CB/D.A Press)
Após denúncias e uma investigação de quatro meses, a Delegacia Especial de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) deflagrou, no último fim de semana, a operação Raabe, de combate à exploração da prostituição de adolescentes. Os agentes flagraram uma casa de prostituição que funcionava em Ceilândia, em um estabelecimento comercial, e era mantida por um homem de 40 anos e uma mulher de 28.
 
No local, três adolescentes, com idades entre 15 e 16 anos, e mulheres maiores de 18 anos eram exploradas sexualmente. O local, segundo a polícia, ambém funcionava como ponto para o tráfico de drogas. Maconha e cocaína eram vendidas aos frequentadores do bar. 

A mulher atuava como gerente e administrava as atividades irregulares no local, além da venda das drogas, de acordo com as ingestivações. O homem foi descrito como sendo violento e ameaçava as vítimas, sempre portando arma de fogo.

A equipe realizou ainda buscas com cão farejador na casa do investigado e encontrou uma pistola modelo PT 57 SC, calibre 765. No bar, apreenderam porções de cocaína. Também cumpriram mandados de busca e apreensão nas residências de pessoas que teriam se relacionado com as adolescentes. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade