Publicidade

Correio Braziliense

Polícia desarticula quadrilha especializada em receptação de carga roubada

A Operação Oleum desmantelou o esquema do grupo, que era especializado em receptar e comercializar cargas roubadas no DF e Entorno


postado em 19/09/2018 07:30 / atualizado em 19/09/2018 07:48

A Polícia Civil deflagrou, na manhã desta quarta-feira (19/9), uma operação para coibir o roubo de cargas no Distrito Federal e Entorno. São cinco mandados de prisão preventiva e seis de busca e apreensão em Santa Maria e Valparaíso de Goiás. A Operação Oleum é comandada por policiais da Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Corpatri).

Segundo a Polícia Civil, os suspeitos mantinham as cargas de alimentos e produtos de higiene ou limpeza escondidas em galpões, vigiados por adolescentes. As investigações começaram no ano passado, com a prisão em flagrante, em 27 de julho, de três pessoas que participavam do esquema em Santa Maria. O local era vigiado por um adolescente, sobrinho de um dos presos. 

Após as prisões, os investigadores iniciaram um trabalho para descobrir se haviam mais suspeitos agindo em conjunto com os detentos. Foi constatada a formação de uma organização criminosa especializada em receptação de cargas roubadas em Santa Maria.

De acordo com as investigações, os criminosos eram organizados em uma hierarquia específica. O chefe do grupo era responsável pela obtenção das mercadorias roubadas, ocultação e comercialização irregular das cargas. Também havia um indivíduo que trabalhava recrutando motoristas, buscando as notas frias e alugando os galpões. Outro suspeito transportava as mercadorias e buscava adolescentes para vigiar a carga roubada. 

A operação é referência à palavra em latim que significa "óleo". Segundo a polícia, o termo é utilizado pelos investigados para se referir a carga roubada. Os suspeitos vão responder por organização criminosa. A pena é de varia de três a oito anos de prisão.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade