Publicidade

Correio Braziliense

GDF abre licitação para a construção de duas estações em Samambaia

Estações devem beneficiar cerca de 10 mil pessoas por dia a partir de 2021. Além disso, no próximo ano, o sistema deve contar com mais três terminais, dois na Asa Sul e um em Águas Claras


postado em 20/09/2018 06:00 / atualizado em 19/09/2018 22:17

O GDF lança hoje o edital de licitação para a expansão do metrô em Samambaia. O projeto prevê mais 3,67km de trilhos e duas novas estações: uma na Quadra 111 e outra na 117. As obras incluem, ainda, a construção de três viadutos, sendo dois rodoviários e um metroviário; quatro passarelas para pedestres; e uma subestação de energia. Com a ampliação do transporte sobre trilhos, o governo estima atender 10 mil pessoas a mais por dia.

Com a homologação do processo, as empresas interessadas podem se inscrever na concorrência. A estimativa da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô/DF) é de que, em janeiro de 2019, essa etapa de seleção seja concluída, o acordo firmado e que, a partir de então, comece a construção. “Assim como acontece no mundo todo, a expansão dos trilhos vai valorizar os ramos imobiliário, comercial e de serviço; com isso, haverá um boom na geração de empregos e nas rendas, fomentando a economia e o desenvolvimento urbano”, prevê o presidente da Metrô-DF, Marcelo Dourado. A expectativa é de que as obras sejam concluídas em 2021.

O Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica, Social e Ambiental da empreitada estimou que, com a construção dos terminais de metrô, será possível reduzir mais de 3,2 mil carros particulares e 62 ônibus circulando diariamente na região. Com isso, a pesquisa conclui que haverá redução tanto na quantidade de poluentes atmosféricos quanto do tempo de viagem. A verba estimada é de R$ 123 milhões, sendo que 88% do valor é proveniente do Orçamento Geral da União, e os outros 12% da contrapartida financeira do GDF. Ao Correio, o governador Rodrigo Rollemberg disse que viabilizar as obras foi uma prioridade da gestão. “Mesmo que boa parte do montante venha do governo federal, houve esforço e trabalho do governo local para equilibrar as contas, permitindo ao DF a capacidade de investimento”, afirmou.

Modernização


Rollemberg destacou, ainda, que as três novas estações que o Distrito Federal está prestes a receber foram construídas com verba local. A previsão é de que, até novembro, os terminais da 106 Sul, no Cine Brasília, e da 110 Sul possam receber passageiros. Até o fim de 2018, deve ficar pronta a estação da Estrada Parque, em Águas Claras. As duas primeiras obras foram orçadas, no total, em R$ 38 milhões.

A expansão do metrô de Samambaia faz parte do empreendimento “Expansão e Modernização da Linha 1”. Ele foi dividido em quatro etapas, com o objetivo de viabilizar a liberação dos recursos pelo Ministério das Cidades. Além do trecho de Samambaia, estão incluídos o de Ceilândia, o da Asa Norte e uma modernização do transporte. “Todas as etapas estão aprovadas pelo Ministério das Cidades e pela Caixa Econômica Federal. No entanto, necessitamos da liberação da verba federal para darmos início a esses outros processos licitatórios”, explica Rollemberg.

A expectativa do Executivo local é de que o recurso da União seja liberado ainda no primeiro semestre de 2019. Se a previsão for cumprida, todas as obras da Expansão e Modernização da Linha 1 devem ser entregues até o fim de 2022.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade