Publicidade

Correio Braziliense

Acusado de assassinar DJ no Conic, Lucas Albo vai a julgamento em novembro

Lucas Albo de Oliveira será julgado pelo Tribunal do Juri em 6 de novembro. Ele está preso desde julho de 2017, após se entregar a polícia


postado em 20/09/2018 15:58 / atualizado em 20/09/2018 17:53

Lucas Albo está preso desde julho de 2017(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Lucas Albo está preso desde julho de 2017 (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Mais de um ano após o assassinato do DJ Yago Linhares Sik , 23 anos, o principal acusado do crime, Lucas Albo de Oliveira, será julgado em 6 de novembro. A data foi definida pelo Tribunal do Júri na quarta-feira (19/9), mas as partes foram intimadas nesta quinta (20/9). A família da vítima virá do Maranhão para acompanhar o caso.

Yago foi assassinado em 2 de julho, durante uma festa no Conic, após uma briga com Lucas. Ele confessou o crime à polícia e disse que não tinha a intenção de matar a vítima, apenas "dar um susto".

O advogado de acusação, Rodrigo Vicente Martins Fernandes, explica que essa é a fase de audiência de instrução e julgamento, também chamada de sessão plenária. “É o momento em que as provas são produzidas novamente e há a sentença”, esclarece.
 
A defesa da vítima pediu a disponibilização de meio técnico para publicar o vídeo em que mostra o momento do disparo contra Yago e a fuga de Lucas. A expectativa é que, dessa vez, Lucas dê algum posicionamento, já que na primeira fase ele utilizou do direito de se manter calado. 
 
“As testemunhas serão ouvidas de novo, as defesas fazem a sua sustentação oral, o Ministério Público se pronuncia e os jurados entendem se ele é culpado ou inocente”, reforça o advogado de Yago. Rodrigo Fernandes. O julgamento será publico.

Entenda o caso 

O crime aconteceu na madrugada de 2 de julho, por volta das 5h30. Testemunhas afirmam que o assassino teria agredido a ex-namorada, Marcela Martinelli Brandã, dentro de uma festa, e Yago teria defendido a moça. Enquanto mandava mensagens para Marcela, Lucas aguardava por Yago do lado de fora da festa, no corredor frontal do Conic.
 
Assim que o DJ deixou o local, levou dois tiros. No momento, ele estava de mãos dadas com a então namorada, Bárbara Rodrigues. Câmeras de segurança do prédio gravaram a tocaia e o momento do assassinato.
 
O acusado foi transferido para a Papuda em 7 de julho e foi indiciado por homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e por uso de recurso que dificultou a defesa da vítima, além de ameaça e injúria. Se condenado, Lucas pode pegar de 15 a 30 anos de prisão.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade