Publicidade

Correio Braziliense

Polícia Militar divulga esquema de segurança no DF para o dia das eleições

O efetivo de 6.840 policiais será responsável pela segurança de 606 locais de votação e de cerca de 6.700 urnas eletrônicas


postado em 21/09/2018 11:30 / atualizado em 21/09/2018 12:07

Chefe Operacional da PM , Marcilon Back, explicou como será feita a segurança no dia das eleições(foto: Thiago Melo/Correio Braziliense)
Chefe Operacional da PM , Marcilon Back, explicou como será feita a segurança no dia das eleições (foto: Thiago Melo/Correio Braziliense)
A Polícia Militar do DF divulgou nesta sexta-feira (21) o número de policiais e os procedimentos de segurança que serão utilizados no dia 7 de outubro durante a realização das eleições para governador, deputado distrital, deputado federal, senador e presidente da república. Cerca de 6.840 policiais militares irão atuar diretamente na segurança das urnas, dos colégios eleitorais, além da fiscalização de locais públicos e espaços próximos das sessões de votação. 

No DF serão 606 locais de votação, que receberão ao todo 6713 urnas eletrônicas. A distribuição da PM será de 1 oficial responsável a cada 15 locais de votação, e cerca de 2 a 6 policiais por colégio eleitoral.O Coronel Marcilon Back, chefe do departamento operacional da PM, explicou que os procedimentos de segurança iniciam-se na sexta-feira (5/10) e só finalizam após o fim das apurações.

A PM será responsável pela guarda dos locais onde as urnas serão armazenadas, assim como a fiscalização durante o transporte até o recolhimento das máquinas. Serão utilizados no dia da eleição além de viaturas e carros oficiais, a cavalaria e helicópteros da corporação. Back explicou que a orientação aos PMs é resguardar os locais de votação para evitar conflitos e crimes como boca de urna e transporte irregular. Porém, esclareceu que, nesses casos, só farão prisões mediante solicitação do juiz eleitoral presente no local. 

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a prisão no dia da eleição só pode ocorrer mediante flagrante, ou seja, prisão feita no momento em que o crime foi cometido, caso contrário, nenhum eleitor pode ser preso desde cinco dias antes da eleição até 48 horas após o término da votação. Para candidatos e membros da mesa receptora e fiscais de partido, esse prazo de proibição de prisão é ainda maior: 15 dias antes da votação até 48 horas após o encerramento.

Em relação aos procedimentos de segurança por parte do eleitor, e coronel explicou que é importante ficar atento nos locais mais movimentados e prestar atenção no uso de objetos como celulares e tablets. "No dia da eleição, as pessoas devem ficar atentas, é importante não deixar carros abertos, verificar se os alarmes foram ligados, não deixar objetos como computadores, tablets e celulares dentro dos carros, para que isso não chame a atenção de nenhum ladrão", ressaltou. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade