Publicidade

Correio Braziliense

Ataques e mais promessas na corrida ao Buriti

Candidatos ao Governo do Distrito Federal sobem o tom contra concorrentes. Rollemberg critica Fraga e Ibaneis, relacionando os dois a velhas práticas políticas. Adversários afirmam que "bateu o desespero" no governador


postado em 23/09/2018 06:48 / atualizado em 22/09/2018 20:50

Eliana Pedrosa (Pros) disse que vai evitar embates na reta final:
Eliana Pedrosa (Pros) disse que vai evitar embates na reta final: "Quem faz isso está sem convicção" (foto: Alexandre de Paula/CB/D.A Press)

 
A duas semanas do primeiro turno das eleições, os candidatos ao Governo do Distrito Federal sobem o tom contra adversários para tentar conquistar o eleitor em uma disputa acirrada. Com cenário ainda embolado e aberto a mudanças, críticas e acusações se tornaram frequentes nas redes sociais e nos compromissos de campanha. Ontem, concorrentes ao Palácio do Buriti trocaram farpas durante agendas e peregrinaram pelo DF em busca de votos.

Candidato à reeleição, Rodrigo Rollemberg (PSB) se encontrou com policiais militares e bombeiros. O socialista apresentou às categorias projeto de plano de carreira que entraria em vigor a partir do próximo ano. Caso Rollemberg se reeleja, os militares passarão a ter estabilidade no cargo após três anos de serviço, em vez dos 10 anos previstos atualmente.

O evento ocorreu no Cruzeiro. A candidata ao Senado Leila do Vôlei (PSB) e o candidato à vice-governadoria, Eduardo Brandão (PV), dividiram palanque com o governador. No discurso, Rollemberg questionou a candidatura de adversários. “Tem gente que se vende como o novo, mas só é candidato porque o Filippelli não pode ser, porque foi preso”, alfinetou, em referência a Ibaneis Rocha (MDB), que disputa o GDF pelo mesmo partido do ex-vice-governador, candidato a deputado federal. Rollemberg pediu que o eleitorado estude não apenas a biografia dos candidatos, mas que também observe quem acompanha os concorrentes.

Em compromissos no Gama, Ibaneis Rocha rebateu as críticas. “Acho que está batendo o desespero. O baixo índice das pesquisas pesou e ele vai partir para cima de todo mundo”, disse o advogado. Para o candidato do MDB, os adversários subestimaram sua campanha. “Agora eles vêm para cima, mas perderam o tempo. Tiveram 40 dias para tentar algo contra mim”, argumentou. Filippelli concordou com a avaliação e atribuiu a fala do governador ao “desespero”.
 
 
Alberto Fraga (DEM) cumpriu agenda em Sobradinho e defendeu revitalização de feiras pela cidade(foto: Democratas/Divulgação)
Alberto Fraga (DEM) cumpriu agenda em Sobradinho e defendeu revitalização de feiras pela cidade (foto: Democratas/Divulgação)

O advogado deu foco às propostas para a cidade na agenda de ontem. Ibaneis prometeu construir um novo posto de saúde e reformar o hospital da região. “Precisamos também colocar mais médicos com urgência. A saúde não pode esperar”, afirmou.

O deputado federal Alberto Fraga, candidato ao GDF pelo Democratas, foi outro alvo das críticas do atual governador. “Agora o Fraga virou bonzinho?”, ironizou Rollemberg. O parlamentar também comentou: “Ele tem que entender que eu sou do povo e que conheço o povo”.


Fraga fez campanha na Feira de Sobradinho. No local, as questões de segurança, do transporte e da infraestrutura se destacaram entre as reclamações de comerciantes. “Tenho passado por muitas feiras e todas as que visitei precisam de reforma. Nós temos que ter uma visão mais voltada para esses locais”, comentou.

Disputa de espaço

No Gama, Ibaneis Rocha (MDB) disse que os adversários subestimaram sua campanha:
No Gama, Ibaneis Rocha (MDB) disse que os adversários subestimaram sua campanha: "Agora vêm pra cima" (foto: MDB/Divulgação)

O deputado federal licenciado Rogério Rosso (PSD) caminhou pelo Taguacenter, em Taguatinga, acompanhado do número dois na chapa, Egmar Tavares (PRB), e do candidato ao Senado Fernando Marques (SD). Ele destacou a necessidade de uma reforma tributária no DF.

No mesmo local, havia um trio elétrico do PT que destacou, no sistema de som, a participação de Rosso na aprovação do texto da proposta de Emenda Constitucional 95, que impõe limites ao gasto público. Os cabos eleitorais do pessedista responderam com vaias. Alguns chegaram a fazer sinais de armas com as mãos e apontar para o veículo.

Rosso seguiu a caminhada normalmente, mas comentou sobre o discurso petista. “O PT é interessante, porque não tem proposta, é só falar mal e denegrir as pessoas”, pontuou. Concorrente ao GDF pelo PT, Júlio Miragaya também fez caminhada mais tarde pelo Taguacenter acompanhado pelo distrital Chico Vigilante (PT) —  que tenta a reeleição —  e pelo candidato ao Senado Marcelo Neves (PT).

Paz e amor

Rosso (PSD), ao lado do atual vice-governador, Renato Santana, destacou necessidade de reforma tributária(foto: Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
Rosso (PSD), ao lado do atual vice-governador, Renato Santana, destacou necessidade de reforma tributária (foto: Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
 

Com agenda em Santa Maria, a líder nas últimas pesquisas eleitorais sobre a corrida ao Buriti, Eliana Pedrosa, afirmou que vai evitar embates com adversários na reta final. “Nestas próximas semanas, a temperatura deve subir, mas, da minha parte, é paz e amor”, garantiu. A ex-distrital, porém, alfinetou os candidatos que focam nas críticas. “Quem faz isso está sem convicção daquilo que vai fazer pelo seu plano de governo. Eu vou continuar sendo propositiva e aqueles que acreditam no seu trabalho também o serão.”

Durante a caminhada, Eliana defendeu a implementação de um trem que ligue Luziânia (GO) ao Plano Piloto, passando por Santa Maria e Guará. O projeto, segundo a candidata, será financiado com apoio do governo federal e do estado de Goiás. Segundo as estimativas da equipe dela, a primeira fase deve custar R$ 700 milhões e a segunda, entre R$ 1,7 bilhão e R$ 2 bilhões.


Fátima Sousa (PSol) visitou o Ceasa (SIA) e panfletou em Taguatinga, onde discursou para a militância. “É a agricultura familiar que coloca comida na mesa dos brasileiros. Aqui no DF, vamos apoiá-la para garantir que as pessoas tenham alimentação saudável, adequada e sem veneno”, declarou a professora.

Alexandre Guerra fez corpo a corpo na Feira de Santa Maria e em Samambaia. O candidato do PRP, Paulo Chagas, encontrou-se com motociclistas no Sudoeste. Guillen (PSTU) não teve agenda pública.


Críticas rebatidas

Rollemberg (PSB) contou com a companhia de Leila, candidata ao Senado, e do vice na chapa, Eduardo Brandão(foto: Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
Rollemberg (PSB) contou com a companhia de Leila, candidata ao Senado, e do vice na chapa, Eduardo Brandão (foto: Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
 

Número um nas pesquisas de intenção de voto ao Senado Federal, Leila do Vôlei desabafou durante discurso sobre críticas que vem recebendo. Na última semana, vídeo de entrevista da ex-atleta olímpica viralizou nas redes sociais. Na gravação, a candidata se enrolava com as palavras na hora de explicar qual o posicionamento sobre a reforma da Previdência. “Só se joga pedra em árvore que dá fruto. Não vivemos na política uma crise de experiência, mas de moral. Uma crise causada por pessoas que acabaram com a política e com o respeito”, comentou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade