Publicidade

Correio Braziliense

Rogério Rosso quer revitalizar feiras e fechar parcerias com igrejas

O candidato ao Buriti visitou duas feiras neste domingo: "São os grandes empregadores da capital"


postado em 23/09/2018 17:30 / atualizado em 23/09/2018 17:31

Rosso promete parceria com igrejas para construção de creches e centro de apoio ao idoso (foto: Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
Rosso promete parceria com igrejas para construção de creches e centro de apoio ao idoso (foto: Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)


“O nosso governo vai ser de apoio às feiras”, garantiu o candidato a governador do Distrito Federal Rogério Rosso (PSD) neste domingo (23/9). O deputado federal licenciado acordou cedo e visitou dois centros comerciais do DF. Durante a manhã, panfletou na Feira do Bicalho, em Taguatinga, e, no começo da tarde, cumprimentou os comerciantes da Feira dos Importados, no Setor de Indústrias e Abastecimento (SIA).

O candidato, que vem focando projetos de campanha no incentivo ao micro e pequeno empreendedor, afirmou que atualmente os feirantes são os grandes empregadores do DF. “Eles geram empregos para si próprios e para diversas pessoas.” Após as visitas, Rosso assegurou que as mulheres são a maioria das donas de banca e que os centros comerciais precisam passar por reestruturação. “Não tem banheiro e falta segurança, isso precisa mudar”, apontou. 

Com forte base evangélica, Rosso era constantemente parado durante as caminhadas por fiéis de igrejas onde os líderes religiosos estão apoiando a chapa, que tem como número dois o pastor Egmar Tavares (PRB), da Igreja Assembleia de Deus de Madureira. “Vamos construir igrejas, e não destruí-las, como o atual governo fez”, comentou em relação às derrubadas de templos religiosos instalados irregularmente em áreas públicas realizadas no mandato de Rodrigo Rollemberg (PSB). 

A proposta fixada no plano de governo de Rosso é uma parceria entre o GDF e os templos religiosos. “As igrejas vão trabalhar em parceria com o DF. Elas tem grandes terrenos, que muitas vezes são usados só durante a noite ou em fins de semana, nos cultos. Nossa proposta é construir creches e centros de apoio ao idoso na parte desocupada desses terrenos”, pontuou. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade