Publicidade

Correio Braziliense

Jovem é baleado duas vezes dentro de escola em São Sebastião

A vítima, de 17 anos, foi atingida por dois tiros e socorrida pelo helicóptero do Corpo de Bombeiros


postado em 24/09/2018 14:08 / atualizado em 27/09/2018 17:07

Caso aconteceu na rua 31, bem próximo a Escola Classe Vila Nova(foto: Divulgação/CBMDF)
Caso aconteceu na rua 31, bem próximo a Escola Classe Vila Nova (foto: Divulgação/CBMDF)

Um jovem de 17 anos foi baleado duas vezes dentro da Escola Classe Vila Nova, em São Sebastião. O crime aconteceu na tarde desta segunda-feira (24/9), por volta das 12h40. Segundo informações preliminares, a discussão entre ele e os autores começou nas imediações do colégio. E, para fugir, ele entrou na instituição junto com pais e alunos que chegavam para o turno vespertino.  

A vítima correu para a copa do colégio e tentou fechar a porta. Contudo, não conseguiu e o autor disparou contra o jovem. Ele foi atingidono braço e no peito, segundo o Centro de Comunicação Social da Polícia Militar. Essa última bala, na região do tórax, deixou o jovem em estado grave, com hemorragia abundante, como informou o capitão Ronaldo Reis, do Corpo de Bombeiros.
 
No socorro, um helicóptero de resgate foi utilizado para levar o rapaz ao Hospital de Base. A PM disse que conhece a identidade dos suspeitos. A motivação dos disparos se deu por rixa entre os envolvidos. Eles perteciam a gangues rivais, a "do morrinho" e "da matinha". De acordo com delegado da 30ª Delegacia de Polícia (São Sebastião) Marcelo Morum, a vítima tentou atropelar o maior da dupla, Matheus da Costa Silva, 18, há um mês. 
 
A vítima encontra-se em estado grave, mas estável e sem risco de vida.   
 
Os autores da tentativa de homicídio foram localizados na quarta-feira (26/9), após investigações da Polícia Civil. O menor foi encaminhado para a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA) e Matheus, foi levado para a Delegacia de Polícia Especializada (DPE).  

Clima de terror

Segundo a vice-diretora da Vila Nova, Gizele Mendes, funcionários correram para proteger as crianças, que têm entre 4 e 11 anos. "Ocorreu em um horário em de grande fluxo de pais e alunos, pois é o momento da troca de horários. Quando entendemos o que acontecia, imediatamente tentamos proteger as crianças. Mas, infelizmente, algumas delas viram essa cena de violência", lamenta. 
 
"Os alunos ficaram muito abalados, mas os funcionários também, porque é uma situação de terror. O menino foi baleado em frente a trabalhadores da limpeza, quando tentava fugir. Todos estamos traumatizados, nunca havíamos presenciado uma situação como essa tão próxima de nós", afirma Graziele.
 
A Escola Classe Vila Nova teve as aulas interrompidas devido ao acontecimento, mas teve retorno das aulas ontem, com palestra da Polícia Militar. Está sendo feito uma trabalho com psicólogos para que todos os alunos voltem sem maiores traumas. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade