Publicidade

Correio Braziliense

Semana será de calor no DF e termômetros marcam até 20ºC nas madrugadas

Domingo foi o dia mais quente do ano, com 34,5ºC. Ontem os termômetros marcaram 32ºC, a mesma máxima prevista para hoje


postado em 25/09/2018 06:00 / atualizado em 24/09/2018 23:55

Marco Antônio recorreu a uma das duchas do Parque da Cidade, na tarde de ontem, quando fez 32ºC(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Marco Antônio recorreu a uma das duchas do Parque da Cidade, na tarde de ontem, quando fez 32ºC (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
O clima no Distrito Federal permanece seco, quente e abafado até, ao menos, o fim de semana. Enquanto a umidade relativa do ar cairá a 20%, a temperatura passará dos 30ºC, como nos últimos dias. Domingo foi o dia mais quente do ano, com 34,5ºC. Ontem os termômetros marcaram 32ºC, a mesma máxima prevista para hoje. Os dados são do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

“Esta semana vai ser bem abafada, com temperaturas elevadas. Agora começa a esquentar mesmo, até de madrugada, que antes ficava na casa dos 11ºC e agora fica em torno de 18ºC e 20ºC; por isso, as pessoas estão estranhando, é uma mudança grande”, observa a meteorologista Naiane Araújo, do Inmet. Ela diz ainda que há 30% de possibilidade de haver pancadas de chuvas no DF na sexta-feira e 60%, no fim de semana.

Refresco

Marco Antônio da Silva, 26 anos, sentiu a mudança de clima e não perdeu tempo. Ele foi se refrescar no calor nas duchas do Parque da Cidade. “Está quente demais. Nessas horas é bom entrar embaixo da água fria.”

A professora de educação física Alexandra da Silva Cesário, 43, preferiu suar nas quadras de vôlei de praia do Parque, mesmo grávida de sete meses. Ela conta que, para amenizar a quentura, se hidrata e come alimentos ricos em água, como frutas. “Brasília tem isso de o clima mudar repentinamente. Uma hora chove, depois está quente, aí esfria à noite. Então a gente acaba acostumando. Mas, realmente, está muito quente. Às vezes tem que parar o treino e jogar um pouco de água na cabeça para aguentar”, brinca.

Marcelo Luz, 41 anos, não se considera calorento, mas, nos últimos dias, tem sentido os efeitos da temperatura alta. Ele admite que esse o clima o desanima a praticar exercícios físicos. “Está muito calor, então dá uma moleza. Até mesmo dentro de casa, que teoricamente é mais agradável, está quente. Para dormir está quase insuportável. E o que podemos fazer para evitar consequência é se hidratar o máximo possível”, comenta.

Companheiro de Marcelo, Bel Costa, 37, conta que gosta do calor, mas fica incomodado com o tempo abafado. “A gente fica grudando. Dá aquela sensação de que vai chover, mas não vem nada”, completa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade