Publicidade

Correio Braziliense

Pai é detido acusado de abusar de filha de 13 anos em Águas Claras

Vizinhos ouviram gritos de socorro da menina e chamaram a polícia. PMs entraram na casa do homem e o encontraram no quarto da filha


postado em 25/09/2018 14:33 / atualizado em 25/09/2018 19:35

(foto: Valdo Virgo/CB/D.A Press)
(foto: Valdo Virgo/CB/D.A Press)
Um homem de 45 anos é acusado de abusar da própria filha, de 13, no Setor Vereda da Cruz, em Águas Claras. Vizinhos ouviram a menina gritar pedir por socorro desde a noite de segunda-feira (24/9). Como os pedidos se estenderam até a manhã desta terça-feira (25/9), chamaram a polícia, que entrou na casa do acusado e o encontrou no quarto da filha, segundo o Centro de Comunicação Social da Polícia Militar.

Após chamar os militares, os moradores da região chegaram a gravar áudios com os pedidos de ajuda da garota, para comprovar o crime. O sargento Wellington Bezerra teve acesso ao material, antes de adentrar a residência. 
 
“Ela estava no quarto, assustada e, o pai, na porta. Quando ele nos viu, começou a se justificar, alegando que a menina pedia por socorro por estar fazendo cócegas nela”, relata o sargento.  
 
Os militares pediram para que o pai saísse do apartamento. Uma policial feminina conversou com a adolescente, para que a vítima se sentisse mais confortável. “Ela afirmou que o pai teria passado a mão pelo corpo dela e, por isso, ela estava com medo”, conta.  
 
O homem foi autuado por estupro de vulnerável pela 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga) e permanecerá preso. A Polícia Civil investiga o caso por meio de depoimentos do acusado e da vítima, que foram encaminhados ao Instituto de Medicina Legal (IML) para exames de corpo e delito. A menina está sendo assistida pelo Conselho Tutelar. 
 
A adolescente vive com o pai desde dezembro de 2017, quando se mudou da casa da mãe, em Belém (PA). Ao longo dos meses, este teria sido o primeiro episódio em que o homem teria tentado abusar sexualmente da filha.   

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade