Publicidade

Correio Braziliense

Candidato ao Senado pelo PCO Danilo Matoso quer revogar reformas de Temer

O candidato disse acreditar na eleição para o cargo como forma de mobilizar a população no combate à corrupção


postado em 26/09/2018 17:55 / atualizado em 26/09/2018 18:27

 

Danilo se posicionou contrário à redução da maioridade penal em qualquer caso, e ás reformas da previdência e trabalhista(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
Danilo se posicionou contrário à redução da maioridade penal em qualquer caso, e ás reformas da previdência e trabalhista (foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)

O candidato ao senado Danilo Matoso (PCO) conversou com o Correio Braziliense sobre como pretende atuar na casa legislativa, caso eleito. Danilo disputa as eleições sob júdice. Teve a candidatura impugnada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), mas recorreu da decisão. Brasiliense, é formado em arquitetura e urbanismo, militante da Corrente Sindical Nacional Causa Operária e arquiteto da Câmara dos Deputados desde 2004. Ele atacou o Governo Temer, se disse contrário à ficha limpa e propôs um mandato para mobilizar a população, dentre outras coisas, para o combate à corrupção.

Questionado sobre se candidatar pela primeira vez justamente para o Senado, ele explicou que o partido concebe a carreira política não como um fim em si. “É uma maneira de conscientizar a população e, assim promover uma efetiva mudança na correlação de forças dentro do espectro da cultura de classes”, disse. “Os representantes a cada cargo são escolhidos de modo a dar maior visibilidade à luta que pretendemos empreender nesse momento, contra o golpe de estado, a denúncia da prisão do presidente Lula, e para estimular a população a se mobilizar”, completou.

O candidato se disse contra a ficha limpa por motivos constitucionais. “Nós do PCO sempre fomos contra. Ela é inconstitucional. Tem um artigo na constituição que diz que não se pode cassar direitos políticos sem transitado em julgado. Essa lei  dá poderes ao judiciário, composto por agentes públicos que não foram eleitos, e propicia a implantação da verdadeira ditadura do judiciário”, disparou. Danilo também falou sobre o armamento da população. “O PCO é favorável ao armamento da população, que tem que se organizar, treinar e fazer o policiamento. Jair Bolsonaro não defende isso. Ele quer armar legalmente as milícias, jagunços e pessoas em torno dessa rede de poder e manter a população desarmada.

Danilo se posicionou contrário à redução da maioridade penal em qualquer caso, e às reformas da previdência e trabalhista. “Nós somos favoráveis e não vamos só a barrar essas reformas como revogar todos os atos de Temer. Essa é a maneira correta. Ele não foi legítimo”, disparou. “A reforma trabalhista é uma selvageria. É uma selvageria. Eles usam a discussão, o pretexto que a legislação trabalhista é antiga. Alguém acha que a Lei Áurea é antiga? Algumas leis, como a trabalhista, são conquistas históricas da civilização”, disse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade