Publicidade

Correio Braziliense

Políticos vão ao Memorial JK para o velório do ex-governador Joaquim Roriz

Políticos e anônimos se revezam à beira do caixão. O clima é de muita comoção


postado em 27/09/2018 17:01 / atualizado em 27/09/2018 17:58

(foto: Alexandre de Paula/CB/D.A.Press)
(foto: Alexandre de Paula/CB/D.A.Press)

Políticos de todas as correntes participam do velório do ex-governador Joaquim Roriz nesta quinta-feira (27/9), no Memorial JK. Candidatos ao Governo do Distrito Federal já passaram pelo local, como o  governador Rodrigo Rollemberg (PSB), Eliana Pedrosa (Pros), Alberto Fraga (DEM) e Ibaneis Rocha (MDB), e prestaram solidariedade às filhas, netos e outros familiares de Roriz. Os ex-vice-governadores Paulo Octavio, Maria de Lourdes Abadia e Benedito Domingos e o ex-governador de Goiás Iris Resende também compareceram . Políticos e anônimos se revezam à beira do caixão. O clima é de muita comoção e duas mulheres desmaiaram enquanto aguardavam o momento da despedida de Roriz. 

Apoiada pela família do ex-governador, Eliana Pedrosa falou sobre a importância dele para o Distrito Federal. "Ele fez o DF do jeito que ele é. Construiu 12 cidades. É de uma dimensão enorme o que ele fez seja pelas grandes obras, seja pelo que olhar humano que tinha."

(foto: Alexandre de Paula/CB/D.A.Press)
(foto: Alexandre de Paula/CB/D.A.Press)

Na entrada do Memorial JK, Fraga falou sobre a importância de Roriz na articulação política. "Roriz faz muita falta. Se tívessemos um líder como ele em plenas condições, hoje certamente não estaríamos divididos hoje."

Candidata ao Senado pelo PSB, Leila do Vôlei compareceu ao velório de Joaquim Roriz para prestar homenagem. "Eu ia aos comícios dele em Taguatinga, ele ajudou a minha família a conseguir uma casa. É nosso pioneiro, referência em todos os sentidos. A história de Brasília se confunde com a história dele", acredita Leila.

(foto: Alexandre de Paula/CB/D.A.Press)
(foto: Alexandre de Paula/CB/D.A.Press)

O candidato ao GDF pelo MDB, Ibaneis Rocha, também esteve no velório e destacou a importância do ex-governador. "É um homem que fez um trabalho social muito forte. Sempre teve um olhar para as pessoas mais carentes. Então, mesmo sem ter tanta proximidade com a família, vim prestar minha homenagem."

"Nós todos que conhecemos a trajetória política de Roriz em seus quatro mandatos, a gente que conviveu com ele, que sentiu a força dele em valorizar os mais humildes, criar cidades para abrigar famílias que não tinham onde morar, iniciar obras como o metrô em um momento que ninguém acreditava, a fazer Corumbá IV para abastecer Brasília", comenta Paulo Octávio.

Candidato ao GDF pelo PRP, o general da reserva Paulo Chagas também foi ao velório de Roriz. "Na história política de Brasília, talvez ele seja o número 2, atrás apenas do nosso JK", disse.

"É um momento muito triste para a cidade. Roriz era uma pessoa muito querida por tudo que fez. Uma pessoa extremamente sensível, muito ligada às pessoas mais pobres, muito ligada às pessoas humildes. Especialmente no que se refere à habitação", afirma Rollemberg.

"Como Brasília, estou sofrendo. Ele foi um grande companheiro. A cidade perdeu uma pessoa do bem, à frente do seu tempo. O legado mais lindo que ele deixa é o amor incondicional pelos pobres", diz Abadia, vice-governadora de Roriz entre 2003 e 2006.

"O Roriz era um homem querido e especial, respeitado até por quem fazia oposição a ele. Deixou uma forma diferente de governar. Ele tinha uma atenção social profunda, e apesar da sua simplicidade, tinha pleno domínio e conhecimento de tudo o que se passava na cidade. Com o Roriz, aprendi que a política deve ser usada como forma de integração e um gesto de atenção ao povo", afirma Tadeu Filippelli, ex-deputado federal que atuou como secretário de Obras em duas gestões de Roriz. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade