Publicidade

Correio Braziliense

Véspera da última semana antes das eleições mobiliza candidatos ao GDF

Neste sábado (29/9), a maioria panfletou nas ruas, pediu votos, prometeu melhorar a infraestrutura das cidades visitadas


postado em 29/09/2018 17:42 / atualizado em 29/09/2018 18:42

Candidatos ao Governo do Distrito Federal (GDF) apostam na última semana de campanha para convencer mais eleitores(foto: Reprodução)
Candidatos ao Governo do Distrito Federal (GDF) apostam na última semana de campanha para convencer mais eleitores (foto: Reprodução)
Às vésperas da semana que antecede as eleições, candidatos ao Governo do Distrito Federal (GDF) fizeram, neste sábado (29/9), caminhadas e corpo a corpo com eleitores em feiras e shoppings. Eles panfletaram, pediram votos, prometeram melhorar a infraestrutura dos pontos por onde passaram e cumprimentaram as pessoas com aperto de mão, abraços e beijos. Para a reta final de campanha, a maioria pretende manter as estratégias adotadas até agora.

Ibaneis Rocha (MDB) cumpriu agenda na Feira Central de Ceilândia pela manhã. "Estamos no momento de maior conhecimento dos candidatos. Trabalhamos bem nesses 40 dias pré-eleição; por isso, conseguimos atrair a atenção dos eleitores nessa reta final de campanha", explicou o concorrente ao Buriti.

Eliana Pedrosa (Pros) comentou que, para a última semana, manterá o planejamento de campanha na última semana da eleição. "Isso só nos faz querer trabalhar com mais afinco e determinação. O resultado das pesquisas demonstra uma opinião em uma diferença de dois, três dias", reforçou a candidata, que se reuniu com micro e pequenos empreendedores de Taguatinga.

O governador Rodrigo Rollemberg enfatizou, durante visita à Feira da Ceasa, no Setor de Indústrias e Abastecimento (SIA), que acredita chegar ao segundo turno. "Estou convicto disso. Aí, será outra eleição", disse.
 
Alberto Fraga (DEM) aproveitou o sábado para fazer uma caminhada na feira de Brazlândia. Também almoçou com apoiadores da base comunitária e se reuniu com empreendedoras de Santa Maria. O grupo pediu mais incentivos para a inserção das mulheres no mercado profissional e a melhoria das condições de trabalho. O candidato disse que vai abrir linhas de crédito para os pequenos empreendedores, criar incentivos fiscais e dar condições para elas entrarem no mercado de trabalho. Fraga também se comprometeu a construir creches.

Corpo a corpo

Rogério Rosso (PSD) vai intensificar o corpo a corpo com os eleitores na última semana antes das eleições. "Vou continuar fazendo o que fiz durante toda a campanha, procurando ouvir as sugestões das pessoas e ter um olhar mais atento sobre as propostas", enfatizou o candidato ao GDF. 

Alexandre Guerra (Novo) está otimista com a evolução da candidatura ao Buriti. "Nas pesquisas que temos acesso, estamos pontuando entre 5% e 10%. Falta pouco tempo, e o eleitor, nesse período, tem uma atitude mais ativa de pesquisar sobre os seus candidatos. Quando fazem isso, conseguem ver que nós nos sobressaímos, porque as nossas propostas são muito melhores do que as demais", ressaltou.

Júlio Miragaya (PT) também vai reforçar a campanha na rua e buscar contato direto com o eleitorado. "Acreditamos em uma arrancada final, que é uma tradição do PT", previu.
 
Fátima Sousa (PSol) tinha na agenda uma carreata na Estrutural. "Mais da metade dos eleitores ainda não definiu seu voto efetivamente." Para ela, é na última semana, e até no último dia, que muitos passam a refletir sobre a escolha. "Com dois debates importantes pela frente (um deles do Correio Braziliense, em 3 de outubro), acreditamos que ainda haja espaço para conquistar o eleitor e ser a representante da esquerda no segundo turno", destacou.

O general Paulo Chagas (PRP) caminhou no Gilberto Salomão, no Lago Sul, fez carreata em São Sebastião e participou de um reunião em Sobradinho. "Acredito na vitória. Acredito no que vejo nas ruas. Vamos para o segundo turno. Estamos firmes em direção à vitória. Nessa última semana, vamos intensificar o que estamos fazendo, conversando com as pessoas nas diferentes cidades do Distrito Federal, ouvindo dos quatro cantos que a população está conosco", disse.

Antonio Guillen (PSTU) afirmou: "Estamos lutando até o último momento. Cada voto a nós fortalece a ideia de que a classe trabalhadora precisa se rebelar contra esse sistema capitalista, que concentra a riqueza nas mãos de uma minoria de empresários. É preciso se rebelar pra conseguir suas reivindicações."
 
A assessoria de Renan Rosa (PCO) não retornou o contato do Correio

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade