Publicidade

Correio Braziliense

Eliana pensa em usar servidores aposentados para resolver falta de efetivo

Candidata ao Palácio do Buriti acredita que medida poderia melhorar serviços públicos, como saúde e segurança, até que novos concursos públicos fossem realizados


postado em 01/10/2018 15:35 / atualizado em 01/10/2018 16:04

"Não podemos perder essa experiência", justificou a candidata (foto: Arthur Menescal/CB/D.A Press)
 
Uma das postulantes à chefia do Executivo local, Eliana Pedrosa (Pros) disse nesta segunda-feira (1º/10), em entrevista ao programa CB.Poder — parceria do Correio Braziliense com a TV Brasília —, que uma das alternativas para solucionar a falta de servidores públicos no Distrito Federal seria um convite a funcionários já aposentados. De acordo com a candidata, eles atuariam até que novos nomeados por concurso público fossem efetivados.

"Até que os servidores passem por todos os treinos e processos para exercer a profissão, eles vão levar pelo menos dois anos. E alguns serviços, como saúde e segurança pública, precisam de solução imediata. Por isso, a ideia é convidar os que já estão aposentados para assumir a rotina novamente. Para liderar aqueles que, hoje, estão em serviços administrativos", explicou Eliana.

Segundo ela, na segurança pública, caso os aposentados aceitassem o chamado, todas as delegacias do Distrito Federal voltariam a funcionar 24 horas por dia. "Teremos mais policiais à disposição. Isso seria crucial para o combate ao crime que, como todos nós sabemos, não tem hora para acontecer. Além disso, nós também podemos fazer convênios entre as delegacias e estudantes de administração e direito, para compor o serviço policial", defendeu.

Já nos hospitais públicos, Eliana acredita que a proposta de convocar trabalhadores já fora de atividade seria importante para contribuir com os conhecimentos de todos os médicos da rede. "Em algumas especialidades precisamos de concurso, isso é certo. Mas ainda existem muitos profissionais que gostariam de voltar a dar alguma contribuição à população. Não podemos perder essa experiência", destacou a candidata.

Acusada de participação em fraude que beneficiou esquema do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, na última semana, Eliana se defendeu da denúncia feita pela Justiça carioca. "Em 20 mil páginas de processo, eu não sou citada nenhuma vez. Nem em improbidade administrativa ou desvio de recursos. Absolutamente nada. Desafio qualquer um a ler tudo isso e achar uma página que me associe a alguma ação que possa prejudicar o serviço público ou o usuário", garantiu.

Em primeiro lugar nas intenções de voto, de acordo com pesquisa divulgada pelo Correio na última quarta-feira (26/9), feita pelo Instituto Opinião Política, Eliana adotou um discurso de cautela para o primeiro turno das eleições, que acontece no próximo domingo (7/10). "Vamos esperar os resultados das urnas. Tenho a pretensão de chegar em primeiro lugar, obviamente, mas continuaremos fazendo a nossa campanha, que está sendo muito difícil. Agradeço à toda a militância, mas estarei alerta até o momento final", analisou.
 
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade