Publicidade

Correio Braziliense

Vídeo: homem ateia fogo em vizinha e se tranca em apartamento

Segundo relatos dos moradores, ele tem problemas mentais e agiu sem motivação aparente


postado em 02/10/2018 10:26 / atualizado em 02/10/2018 11:29

Equipes do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar tentam negociar com o suspeito(foto: Marília Lima/Esp. CB/D.A Press)
Equipes do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar tentam negociar com o suspeito (foto: Marília Lima/Esp. CB/D.A Press)
Um homem ateou fogo em uma vizinha na manhã desta terça-feira (2/10), em Sobradinho. O caso aconteceu às 7h20, na Quadra 2 da cidade, quando a vítima, de 33 anos, saía para trabalhar. Ela encontrou com o homem embaixo do prédio e foi atacada.
 
O Corpo de Bombeiros e a polícia foram chamados e permanecem no local. A mulher teve queimaduras de segundo grau e foi levada para o Hospital Regional da Asa Norte (HRAN). De acordo com o pai da vítima, ela sentia muita dor no momento do atendimento, mas foi medicada e está estável. 

Após o ataque, o homem correu, se trancou em casa e passou a ameaçar quem chegasse perto. Para detê-lo, a polícia mobilizou o setor de Gerenciamento de Crises da corporação. Em um vídeo a que o Correio teve acesso, é possível ver o acusado na sacada de casa, muito agitado, sem roupa e gritando palavras incompreensíveis.
 
Às 10h40, o Bope conseguiu entrar no local e deter o acusado. Os policiais entraram pela escada do prédio após uma operação conjunta de mais de cinco equipes militares. Ele foi detido nu e bastante alterado, xingando os policiais e bombeiros. "Vou morrer, mas vou matar vocês", dizia. 
 
 

Segundo vizinhos, o acusado tem problemas mentais e não é a primeira vez que agride pessoas. "Ele foi preso na semana passada porque bateu em uma criança que estava pegando uma pipa perto do prédio. Mas sempre que acontecem essas coisas, ele é solto por causa da insanidade mental", disse uma vizinha que não quis se identificar.
 
A vítima é uma professora de 33 anos. Seu pai contou ao Correio que o homem tinha problemas com todos do prédio. "Ela havia comentado sobre as ameaças que ele fazia, mas ele fazia com todos que passavam. Era uma pessoa conhecida por ser problemática", disse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade