Publicidade

Correio Braziliense

Em média, uma pessoa morre a cada 28 horas no trânsito do DF

Balanço da segurança pública de setembro mostra ainda queda nos índices de criminalidade, inclusive no número de estupros - foram sete a menos que no mês anterior


postado em 02/10/2018 18:34 / atualizado em 02/10/2018 18:34

(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

 
A Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social divulgou, nesta terça (2/10), balanço referente ao mês de setembro. As mortes no trânsito aumentaram 19% entre janeiro e setembro deste ano. Nos nove primeiros meses de 2018, morreram 229 pessoas nas vias do DF. O mesmo período, em 2017, foram 193 mortes no trânsito. Em média, uma pessoa morre a cada 28 horas no trânsito do DF. 

Em 2017, 256 pessoas morreram no trânsito do DF ao longo de todo ano. De acordo com o Departamento de Trânsito (Detran-DF), naquele ano houve uma redução de 33% nos acidentes fatais no DF em relação a 2016. Em 2018, foram 178 vítimas do sexo masculino e 35 do sexo feminino até agosto. Nos primeiros oito meses do ano, cerca de 20,6% dos óbitos nas vias do DF foram de pessoas entre 20 e 29 anos.

No mês de setembro, o Detran realizou 67 atividades de educação no trânsito e foram realizadas 9.089 operações de fiscalização. O órgão registrou também 1.743 condutores autuados por dirigirem alcoolizados no mês, além de 73 carteiras de habilitação suspensas ou cassadas e 1.510 veículos removidos. 

Redução nos índices de criminalidade

O balanço do índice de criminalidade no DF apresenta um panorama de quedas. As maiores baixas entre os índices foram dos roubos em transporte público (queda de 67,2% em relação a setembro de 2017) e dos homicídios (queda de 40,4% em relação a setembro de 2017). 

No acumulado desde janeiro, foram 334 homicídios registrados no DF. No mesmo período de 2017, haviam sido 356 homicídios registrados. O DF registrou no ano passado 498 mortes violentas, o menor número absoluto dos últimos 15 anos. No acumulado desde janeiro deste ano, a queda é de 6,2%.

Em relação ao período de janeiro a setembro em 2018 e 2017, as maiores quedas foram dos roubos em transporte coletivo e roubo em residência. No acumulado, foram 769 ocorrências de roubo a menos nos ônibus e no metrô do DF, uma queda de 37,4%. 

O balanço também apresenta um cenário positivo da produtividade das polícias do DF. A Polícia Militar atendeu 29.778 ocorrências a mais em setembro e já acumula desde janeiro mais de 282 mil ocorrências atendidas. Desde janeiro, a Polícia Civil acumula 2.259 pessoas pegas em flagrante (11% a mais que 2017) e 4.830 mandados de prisão executados (4,8% a menos que 2017). Dos 2.927 inquéritos instaurados em setembro, 75% deles foram solucionados.

Estupros

O balanço da secretaria também apresenta uma discreta queda nos estupros ocorridos no DF. Em agosto, foram 30 ocorrências, mas, em setembro, foram 23, enquanto o mesmo mês de 2017 contabilizou 66 estupros. Dentre os estupros ocorridos em setembro deste ano, 39% foram na residência ou local de trabalho da vítima e 52% dos autores destas agressões têm vínculo com a vítima. No acumulado desde janeiro deste ano, a secretaria já contabiliza 494 ataques sexuais. Em 2017, a secretaria registrou 883 estupros, 32,4% a mais que em 2016.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade