Publicidade

Correio Braziliense

Após greve-relâmpago pela manhã, garis ameaçam paralisar serviços novamente

Os funcionários do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) fazem reunião com representantes da autarquia. Eles protestam contra a redução do quadro


postado em 03/10/2018 11:10 / atualizado em 03/10/2018 18:38

Na manhã desta quarta-feira, os garis pararam por quatro horas(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Na manhã desta quarta-feira, os garis pararam por quatro horas (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

Com apenas quatro horas de duração, a greve dos funcionários do Serviço de Limpeza Urbana do Distrito Federal (SLU) foi decretada às 6h desta quarta-feira (3/10) e finalizada por volta das 10h, após representantes do Sindicato dos Trabalhadores de Limpeza Urbana (Sindlurb) marcarem reunião com a autarquia. Segundo o sindicato, caso as propostas apresentadas não sejam levadas em consideração pelo SLU, uma nova paralisação será iniciada.

O diretor financeiro do Sindlurb, Raimundo Nonato Côrrea, informa que o motivo da greve é a redução do quadro de funcionários. "Se o processo de licitação, cujo pregão eletrônico foi realizado no dia 6 do mês passado, for levado adiante, seriam demitidos cerca de 2 mil trabalhadores. A cidade está crescendo e o número de funcionários está diminuindo", afirma.
 
Ele também fala sobre o vencimento dos contratos entre a autarquia e as empresas prestadoras de serviço terceirizado. "O outro ponto é que dia 17 vencem os contratos e não houve manifestação sobre um contrato emergencial nem de uma nova licitação. Inclusive, 61 trabalhadores foram demitidos nesta segunda-feira", conta Raimundo.

Sobre a redução do quadro, o diretor explica que o SLU contratou uma empresa cujas práticas prejudicam o trabalhador da limpeza. "Não tem condições nenhuma de reduzir o quadro, uma empresa ganhadora, que foi contratada com um valor muito baixo, prometeu que compensará com maior jornada de trabalho e redução do quadro de funcionários, por isso o Sindlurb decidiu paralisar os serviços. Quem acaba pagando o pato é a população que já paga muito imposto e vai acabar ficando com o lixo na rua", finaliza.
 
Procurado pelo Correio, o SLU informou que os serviços de limpeza urbana foram retomados ainda pela manhã e que esperava esclarecer os procedimentos legais e as etapas do Pregão Eletrônico nº02/2018 para o sindicato durante a reunião com seus representantes.
 
* Estagiária sob supervisão de Humberto Rezende 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade