Publicidade

Correio Braziliense

Acidente no Eixo Monumental complica trânsito no começo da manhã

Dois carros se chocaram em frente à Câmara Legislativa por volta das 6h30, deixando três faixas interditadas no sentido Congresso Nacional. Um dos condutores se recusou a fazer o teste do bafômetro


postado em 04/10/2018 06:53 / atualizado em 04/10/2018 11:17

Os dois carros se chocaram próximo a via que liga o Setor de Indústrias Gráficas ao Eixo Monumental(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Os dois carros se chocaram próximo a via que liga o Setor de Indústrias Gráficas ao Eixo Monumental (foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Um acidente entre dois carros no Eixo Monumental deixou o trânsito na região central de Brasília lento no começo da manhã desta quinta-feira (4/10). A batida aconteceu por volta das 6h30, quando o semáforo estava intermitente e um Palio atingiu a lateral de uma Hillux, que vinha na pista do Setor de Indústrias Gráficas (SIG), no sentido Congresso Nacional.

Nenhum dos motoristas teve ferimentos graves, mas o condutor do Palio sentiu dores na região do abdômen e foi encaminhado pelo Corpo de Bombeiros para o Hospital de Base. O condutor da Hillux, de 63 anos, se recusou a realizar o teste do bafômetro e foi encaminhado à 5ª Delegacia de Polícia (Asa Norte). 

Segundo o sargento Pedro Reis, da PM, o acidente provocou quilômetros de lentidão no trânsito: "Como teve vítima, as faixas ainda ficaram bloqueadas por um tempo. Foi em um horário de pico, então tivemos o acúmulo de mais carros". Houve reflexos até a Estrutural. Segundo o Centro de Comunicação da Polícia Militar, os veículos foram retirados por volta das 8h30, e o trânsito foi voltando à normalidade aos poucos. 

O condutor da Hillux não quis dar entrevista. Dois familiares do senhor também acompanham o caso. O pai da vítima que foi levada ao hospital disse que seu filho estava indo trabalhar. O motorista tem 31 anos e vende lanches perto da Rodoviária.
 
"As garrafas de café que estavam no carro ficaram todas quebradas, vou ter que jogar tudo fora. O homem disse que vai pagar o conserto do carro, que comprei para meu filho tem quatro meses", disse. 
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade