Publicidade

Correio Braziliense

Homem agride a mulher e se tranca em casa com filha recém-nascida

Um homem que presenciou as agressões pediu socorro a Polícia Militar que, após negociação de quase meia hora, convenceu o agressor a abrir a porta e entregar a criança.


postado em 04/10/2018 10:20 / atualizado em 04/10/2018 13:47

Um homem foi preso acusado de bater na ex-mulher e manter a filha de 2 meses em cárcere privado na manhã desta quinta-feira (04/10), no Varjão. A polícia chegou ao local ao ser avisada por um morador que presenciou a agressão e viu o homem tentando tirar uma recém-nascida do colo da mãe à força.  
 
Quando a Polícia Militar chegou várias pessoas acompanhavam a confusão. "Ele começou a xingar os integrantes da guarnição e disse que ia dar facada nos policiais", relatou o 3º sargento Daniel Aviani Ribeiro de Oliveira, que atuou no caso. Enquanto os militares tentavam negociar, um homem identificado depois como chefe do agressor, interveio e os dois acabaram entrando no barraco, onde estava a mãe do agressor. Ele entrou e passou o cadeado na porta.  
 
Segundo o sargento Aviani, de dentro do barraco ele gritava que ia matar a ex-mulher, arrancar a cabeça dela e pendurar na entrada do Varjão. A equipe pediu o apoio do Btalhão de Operações Especiais (Bope) para por em prática a Operação Gerente. "Começamos o processo de negociação, para tentar convencê-lo a entregar a criança. Depois de cerca de 30 minutos, ele abriu a porta e, ao sair, tentou agredir a ex-companheira novamente. Tivemos que contê-lo e algemar", detalhou o sargento Aviani. Quando o homem saiu do barraco, ele deixou a filha com as mãe dele, dentro de casa.  
   
No fim da confusão, o agressor, o chefe dele, a mulher vítima de violência doméstica e a bebê foram levadas para a 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá), onde o caso será apurado. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade