Publicidade

Correio Braziliense

Justiça do DF envia ordem despejo ao restaurante Piantella

O estabelecimento acumula dívidas de aluguel e IPTU que somam quase 184 mil reais


postado em 04/10/2018 18:09 / atualizado em 04/10/2018 18:10

O tradicional reduto político terá 15 dias para desocupar o espaço(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
O tradicional reduto político terá 15 dias para desocupar o espaço (foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)

Três dias antes do pleito, nenhum resultado de pesquisa eleitoral abalou tanto o circuito gastronômico da cidade que a ordem de despejo judicial expedida ao restaurante Piantella – tradicional reduto político –, que terá 15 dias para desocupar voluntariamente o espaço do bar, “sob pena de desocupação forçada”. A ordem foi expedida nesta semana pela juíza Geilza Fátima Cavalcanti Diniz, da 3ª Vara Cível de Brasília, e dela tomou conhecimento, ainda na terça-feira (2/10), o novo proprietário da casa Roberto Peres, que recebeu recentemente o negócio das mãos do irmão, Omar Catito Peres.

“Eu estava no Rio discutindo com Catito (apelido com o qual é conhecido o empresário dono de diversos estabelecimentos cariocas e do Jornal do Brasil) os novos rumos do Piantella quando recebi a notícia”, disse Roberto Peres. Segundo ele, a situação do bar é o mesmo que “morte anunciada”.

“Mudou o país, mudou o comportamento dos políticos que já não íam mais ao bar e ele se tornou inadimplente”, justificou o restaurateur, que tentou reduzir o valor do aluguel junto ao proprietário do imóvel.

“Desde o ano passado estamos negociando os aluguéis que estavam muito altos com os donos dos três imóveis ocupados pelo Piantella, mas somente um proprietário não concordou e exigiu a devolução do imóvel que vamos fazer o mais breve”, relata Peres, responsável pelas dívidas que, segundo a sentença, somam quase 184 mil reais.

Mudança até no menu

O novo dono do Piantella reconhece que a desocupação do bar -- cujo piano de cauda executado por Mario Pinheiro e removido há três meses foi responsável por memoráveis e alegres noitadas – não se dará em apenas 15 dias e irá demandar mais tempo, em função da cozinha instalada no andar superior.

Muda para o primeiro andar ao lado, onde existe um espaço com a mesa cativa de Ulysses Guimarães, contumaz frequentador da casa. “A cozinha vai ocupar apenas um terço do salão e o restante será mantido”, informa Peres, que está mexendo também no cardápio. Os pratos tradicionais que agradam clientes há 40 anos, como o filé à moscovita e as preparações com peito e coxa de pato, serão mantidos, mas “uma demanda do mercado exige novidades”.

Duas novas pegadas estão previstas: uma italiana com pratos assinados pelo renomado chef Luciano Boseggia e outra francesa com menu elaborado pelo chef Cassio Machado, dono do Rex Food & Drink de São Paulo.Quanto ao bar, vai funcionar no salão principal, à entrada do restaurante, enquanto a varanda ao fundo vai se abrir para a degustação de espumante ao ar livre.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade