Publicidade

Correio Braziliense

Rollemberg participa de carreata em Ceilândia na reta final da campanha

"Nós fizemos muito, mas não fizemos tudo o que gostaríamos de ter feito, devido às condições de Brasília e do Brasil. E é por isso que eu quero ser governador de novo, para fazer muito mais", disse o candidato à reeleição


postado em 04/10/2018 21:50 / atualizado em 04/10/2018 22:39

A carreata trouxa aproximadamente 400 pessoas para a praça de Ceilândia(foto: Bruno Spada/assessoria Rollemberg)
A carreata trouxa aproximadamente 400 pessoas para a praça de Ceilândia (foto: Bruno Spada/assessoria Rollemberg)
 
De visita a escola a encontro cultural, Rollemberg teve agenda cheia nesta quinta-feira (4/10). O maior evento do dia aconteceu em Ceilândia, reunindo aproximadamente 400 pessoas, que erguiam bandeiras e gritavam “mãos limpas”, se referindo ao candidato. Em cima do trio, Rollemberg discursou para os eleitores, ressaltando esquemas de corrupção e condenações dos concorrentes ao Palácio do Buriti e relembrando os principais feitos.

Falou, ainda, da inauguração de uma unidade de saúde no Sol Nascente e das melhorias de infraestrutura na cidade, prometendo, ainda “fazer no Pôr-do-sol o que estamos fazendo no Sol Nascente”. Entre os planos para Ceilândia está a construção de um novo hospital e a ampliação do metrô e do BRT. 
 
(foto: Wallace Martins/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Wallace Martins/Esp. CB/D.A Press)
 
Aos eleitores, Rollemberg afirmou: “Nós fizemos muito, mas não fizemos tudo o que gostaríamos de ter feito, devido às condições de Brasília e do Brasil. E é por isso que eu quero ser governador de novo, para fazer muito mais”. 
 
Rollemberg se reúne com policiais militares e bombeiros para apresentar propostas(foto: Wallace Martins/Esp. CB/D.A Press)
Rollemberg se reúne com policiais militares e bombeiros para apresentar propostas (foto: Wallace Martins/Esp. CB/D.A Press)
 
Mais tarde, na sede da Associação Recreativa Cultural Unidos do Cruzeiro (Aruc), se encontrou com Policiais Militares e Bombeiros. Prometeu às categorias o tratamento isonômico entre todas as forças de segurança, melhoria no sistema de saúde dos militares, recomposição salarial e equiparação de ativos e inativos. “Isso é uma questão de justiça”, disse. O último compromisso ocorreu no Espaço Cultural Túnel do Tempo, em Ceilândia.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade