Publicidade

Correio Braziliense

Projeto AABB Comunidade Casa Azul Brasília celebra primeiro aniversário

Natação, canto, aulas de música, noções de administração e percussão são algumas das atividades oferecidas pela iniciativa


postado em 05/10/2018 16:33 / atualizado em 05/10/2018 19:11

Projeto oferece atividades nas áreas de cultura, esporte e tecnologia para jovens carentes(foto: Arthur Menescal/Esp.CB/DA.Press)
Projeto oferece atividades nas áreas de cultura, esporte e tecnologia para jovens carentes (foto: Arthur Menescal/Esp.CB/DA.Press)
 
O projeto AABB Comunidade Casa Azul Brasília comemorou um ano de atividades nesta quinta-feira (4/10). A iniciativa atende 150 crianças e adolescentes em situação de risco e vulnerabilidade social. Os jovens são habitantes das comunidades da Vila Telebrasília e São Sebastião e, graças ao projeto, têm acesso a cultura, esporte, tecnologia, formação profissional e inserção no mercado de trabalho. Os beneficiários são atendidos por equipe multidisciplinar composta por pedagogos, assistentes sociais, psicólogos e educadores com diferentes formações. Os participantes, que atendem aos quesitos de vulnerabiliade, são encaminhados ao projeto pelos Centros de Referência e Assistência Social do Distrito Federal (CRAS).

O projeto é fruto de parceria entre a Organização não Governamental (ONG) Casa Azul Felipe Augusto, a Fundação Banco do Brasil, a Federação Nacional das AABB’s (Fenabb), a Associação Atlética Banco do Brasil (AABB) e a Secretaria de Estado do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos (SEDESTMIDH).

(foto: Arthur Menescal/Esp.CB/DA.Press)
(foto: Arthur Menescal/Esp.CB/DA.Press)
 
Adriana Nunes, uma das coordenadoras da Casa Azul, conta que o projeto nasceu de um convite para a Casa Azul fazer a gestão da parceria. "Esse interesse surgiu a partir de 2015 e, em agosto de 2017, a gente fez a inauguração do projeto. É um projeto contraturno escolar, onde a criança, necessariamente, está um período na escola e, no outro período, ela vem fazer o projeto", diz. "É uma iniciativa que realmente tem a intenção de tirar as crianças da rua e fazer uma mudança, uma transformação de vida.” Adriana explica ainda que valores humanos, de cidadania e de formação da criança e do adolescente guiam o projeto. “E temos também a parte intergeracional, que trabalha a preparação dos adolescentes para o mercado de trabalho com encaminhamento para o Jovem Aprendiz.”
 
A cerimônia de comemoração ocorreu no Clube da AABB e teve início às 17h, no Salão Social. Durante a celebração, as crianças participantes puderam mostrar seu talento e colocar em prática todos os números que praticaram para comemorar o aniversário do projeto.

Entre balões, bonecas, brinquedos e apresentações de dança cheias de referências, como o aclamado jogo de videogame Mário Kart, e a animação infantil A Bela e a Fera, os pequenos mostraram com alegria a essência do que é ser criança.

Embalados por cantigas de infância como Aquarela, do cantor e compositor Toquinho, Marinheiro só  e Lua de cristal (Xuxa), eles emocionaram a plateia, que admirava com presteza os números. Além das apresentações, os artistas interagiram com quem os assistia e realizaram brincadeiras em que convidados da plateia subiram ao palco para participação em número de mágica do palhaço Dr.Simpatia.

Houve ainda apresentações de música com flautas, trompetes e tambores, todos tocados pelos pequenos, que encerraram o evento com um grande “parabéns” cantado em homenagem ao aniversário de projeto.
 
(foto: Arthur Menescal/Esp.CB/DA.Press)
(foto: Arthur Menescal/Esp.CB/DA.Press)
 

A fundadora da Casa Azul, Daise Lourenço, conta que, em 29 anos de caminhada, a instituição ajudou a transformar muitas vidas. “Eles vêm felizes pra cá. Aqui não é reforço escolar, é uma parte do dia deles, eles podem se expressar e ter outras experiências de vida, socialização e conhecimento”, aponta. “Essas experiências que vivem no dia a dia são muito importantes, até mesmo pra escola.” Daise explica ainda que o projeto tem um poder transformador. “Às vezes, ao transformar uma criança, você transforma uma família; e quando transforma uma família, transforma uma comunidade. Acreditando e vendo o sucesso daquela criança, daquele adolescente, outros também vão passar a acreditar em si mesmos. Acreditar e ter fé: é isso que guia nossos sonhos. O principal objetivo aqui é desenvolver as potencialidades dessas crianças. Quem sabe daqui não sairão músicos, bailarinos, cantores?”

Gabriela da Fonseca, 11 anos, é uma das crianças participantes. Ela apresentou vários números de dança no aniversário e sempre quis ser bailarina. Foi a mãe quem inscreveu a menina no AABB Comunidade. “Eu fiquei bastante ansiosa quando ela me contou. Gosto muito de participar daqui, fiz vários amigos”, garante Gabriela.

(foto: Arthur Menescal/Esp.CB/DA.Press)
(foto: Arthur Menescal/Esp.CB/DA.Press)

Durante as comemorações do aniversário, Vanessa Lisboa, 18 anos, cantou sozinha a música Nunca deixe de sonhar, do grupo Rouge. A canção fala sobre sonhos e Vanessa diz ter ficado bastante nervosa durante a apresentação. Moradora de São Sebastião, ela reconhece no projeto um lugar para experimentar coisas novas. “Aqui a gente faz coisas que não vamos encontrar em qualquer ambiente. É muito importante termos isso porque são várias crianças com pouca condição e que não vão ter acesso a essas atividades em outro lugar.”

Matheus da Silva Gomes, 15 anos, se destacou nos números de dança. Ele reconhece que sentiu vergonha no começo, mas ganhou confiança conforme foi se apresentando. “Eu senti muita vergonha mas, depois que você vai pegando o embalo, fica fácil.” Matheus, que já tem uma experiência maior com dança, ajudava as outras crianças que não conseguiam pegar os passos passados pelo professor e coreógrafo. Além de dançar, o menino faz natação, hip-hop, percussão, informática e estuda noções básicas de administração. 
 
(foto: Arthur Menescal/Esp.CB/DA.Press)
(foto: Arthur Menescal/Esp.CB/DA.Press)
 

Estagiária sob a supervisão de Nahima Maciel

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade