Publicidade

Correio Braziliense

Candidatos ao Buriti comparecem às seções eleitorais neste domingo

Os concorrentes aproveitaram a manhã e o início da tarde para votar. Nos locais, aproveitaram para cumprimentar eleitores e tirar dúvidas


postado em 07/10/2018 16:23 / atualizado em 07/10/2018 17:42

(foto: Correio Braziliense)
(foto: Correio Braziliense)
Depois da corrida eleitoral, os adversários tiveram um compromisso em comum na agenda, na manhã deste domingo (7/10). Nove homens e duas mulheres que disputam os votos dos brasilienses na mais concorrida das eleições ao cargo de governador do Distrito Federal, pelos próximos quatro anos, se juntaram aos eleitores para exercer seus direitos de cidadãos e escolher também deputados distritais e federais, senador, governador e presidente da República. 
 

  
Os candidatos ao Governo de Brasília (GDF), acompanhados de postulantes a outros cargos, militantes das respectivas chapas, familiares e simpatizantes, começaram a votar por volta das 9h. Até as 13h, todos já haviam votado.
 
O Correio esteve em sete das 11 seções eleitorais dos candidatos que disputam a vaga de chefe do Executivo local. Nos colégios eleitorais, eles aproveitaram para cumprimentar eleitores, tirar fotos, responder as dúvidas e alguns enfrentaram acusações e bate boca. Veja como e onde cada candidato que concorre ao Buriti votou.
 

Júlio Miragaya

Acompanhado dos candidatos Marcelo Neves (senador), Érika Kokay (deputada federal), Chico Vigilante (deputado distrital) e Arlete Sampaio (deputada distrital), assessores e militantes do Partido dos Trabalhadores, Júlio Miragaya (PT) chegou por volta das 9h no Centro de Ensino Médio (CEM) Setor Leste para votar. No local, o candidato cumprimentou eleitores e simpatizantes do partido. 
 
“Desde o início da campanha a gente busca aproximação com o público eleitor para procurar entender quais são as expectativas e a gente percebeu que o povo não está muito esclarecido do processo eleitoral, que foi muito conturbado. Percebemos pessoas revelando dúvidas por conta de muita informação falsa que circula na internet”, disse.
 
O candidato ficou dois minutos dentro da seção eleitoral e demorou cerca de 30 segundos para votar. “Estamos com grandes expectativas e entendemos que, no momento que o Brasil vive, o PT é a melhor opção”, afirmou.
 
Questionado sobre o segundo turno e um futuro apoio a candidatos de outros partidos, Miragaya disse que prefere aguardar o final das apurações dos votos e que o resultado pode surpreender. “Vimos muitas oscilações então acho que seria prematuro qualquer afirmação. Seja qual for o resultado, o Partido dos Trabalhadores se reunirá para discutir o processo eleitoral”, concluiu.
 
Miragaya acompanhará a apuração no comitê da campanha, no Conic, e, posteriormente, seguirá para a sede da CUT para fazer o encerramento da campanha. Alguns eleitores que estavam no local demostraram  rejeição ao PT fazendo gestos com a mão que representavam o ex-presidente Lula preso. Houve bate boca entre eleitores e militantes do partido. Um deles chegou a discutir com uma mulher que questionava o uso de bandeiras e camisetas do PT. 
 
Miragaya classificou as manifestações contra o partido como antidemocracia. “A pessoa que não tem tolerância para ouvir opinião e respeitar entrevista que um candidato está dando demonstra essa intolerância, que depois parte para a violência, e somos absolutamente críticos contra esse tipo de comportamento antidemocrático.”
 

(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
 

Rodrigo Rollemberg 

O governador do Distrito Federal e candidato à reeleição Rodrigo Rollemberg (PSB) chegou às 9h30 para votar no colégio SEB Dínatos da 604 Sul, acompanhado da candidata ao Senado e líder das pesquisas Leila do Vôlei (PSB), que votou mais cedo em Águas Claras.
 
Na fila para votar ao lado da primeira-dama Márcia Rollemberg, o candidato cumprimentava eleitores enquanto esperava a vez dele, que só veio após uma hora e meia. Em seguida, ele falou com a imprensa e se disse tranquilo. “É uma grande honra governar essa cidade e só tenho um desejo, que é de continuar servindo a Brasília e esperar com muita confiança e convicção a vontade da população”, destacou.
 
O pessebista falou ainda que há muitas possibilidades de alianças para o segundo turno, mas preferiu não citar nomes. Ele também reforçou o apoio ao presidenciável Ciro Gomes (PDT). “Aqui em Brasília, pelo menos, eu senti um crescimento forte da candidatura do Ciro Gomes e estou esperançoso que o Ciro Gomes possa ir para o segundo turno”, avaliou.
 
Ele irá acompanhar a apuração com a família e, à noite, segue para o comitê do partido no SIA, de onde dará entrevistas. Já a ex-secretária de esporte, turismo e lazer, Leila mostrou confiança com os bons resultados apontados pelas intenções de voto. Ela também vai acompanhar a apuração das urnas com a família e, à noite, segue para o SIA. 
 
“O coração já foi bem testado. Estou tranquila e com a consciência de que demos o nosso máximo. Obviamente que no fim do dia a adrenalina vai subir mais”, avaliou. Ela também falou na expectativa de um segundo turno com Rollemberg na disputa pelo Buriti e Ciro Gomes pelo Planalto. “Até o último minuto tenho esperança no Ciro (vá), mas sabemos que os outros dois candidatos estão muito à frente”, declarou.
 
(foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)

Eliana Pedrosa

Por volta de 10h, Eliana Pedrosa votou no Colégio Presbiteriano Mackenzie, no Lago Sul. Acompanhada do filho, a candidata afirmou  está com pensamento positivo em relação aos resultados. 
 
Assim que chegou ao local, Eliana comprimentou alguns cidadãos e aguardou na fila sua vez de votar. Após a votação, a candidata disse estar esperançosa com os resultados. "Espero chegar logo ao final do dia para a gente poder contabilizar os votos. Sempre há uma expectativa. É a urna que define", frisou.

Sobre os últimos dias de campanha, Eliana destacou as acusações que sofreu de um dos candidatos no último debate. "Sofri muitos ataques e ataques desapropriados. Ibaneis fez uma acusação muito grave a meu respeito dizendo que eu estava envolvida na Lava Jato", ressaltou, dizendo que as acusações são falsas. Poucos minutos antes, o candidato Ibaneis Rocha esteve no mesmo local acompanhando a esposa.
Eliana ainda pretende visitar algumas zonas eleitorais.
 
(foto: Marilia Lima/CB/D.A Press)
(foto: Marilia Lima/CB/D.A Press)

Alberto Fraga 

O candidato ao Buriti Alberto Fraga (DEM) chegou para votar às 10h08. Acompanhado pelo filho Diego e por dois netos, ele votou no Colégio COC do Lago Norte.
 
Alberto Fraga está confiante apesar dos reveses que teve nos últimos instantes de campanha. "Quando assumi a dianteira, veio uma condenação relâmpago que foi produzida e armada por um dos meus adversários", acusa Fraga. 
 
Para ele, o povo é soberano e está ao seu lado nas urnas. "Nós vamos mostrar que as pesquisas estão manipuladas. Ninguém sai de 2% e chega a 40% em menos de 30 dias", apontou Fraga.
 
O candidato vai acompanhar a apuração dos votos em casa e só vai ao comitê no caso de passagem para o 2º turno. Quanto a apoiar outros candidatos, Fraga declarou que apoia Rosso (PSD) ou Eliana Pedrosa (PROS). Quanto a um eventual apoio a Rollemberg, ele prefere ficar neutro.
 
(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
 

Ibaneis Rocha

O candidato a Governo do Distrito Federal (GDF), Ibaneis Rocha (MDB), votou acompanhado do vice Pacco Brito (Avante) e dos filhos de 13 e 20 anos. Um grupo de apoiadores também esteve no local com a camisa de número 15. 
 
Ibaneis entrou para a cabine de votação as 10h28 e não demorou um minuto para selecionar os candidatos. “A campanha foi maravilhosa. Ouvi todas as categorias, me abracei com o povo e partilhei um pouco desse sofrimento que grande parte da população passa em virtude do desemprego, da falta de saúde e educação como um todo”, ressaltou.
 
Para um eventual segundo turno, ele destacou que não pretende buscar apoio de candidatos. “Eu pretendo não buscar diretamente, porque na minha concepção todos eles fazem parte da mesma velha política. Vou buscar abraçar a população. Agora aqueles que quiserem vir sem negociação de cargos nem participação direta de governo podem vir,  a vontade”, destacou. 
 
Ele informou que, durante a tarde, deve ficar em casa e, a partir das 17h, acompanha a apuração dos votos no Clube da OAB
 
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

Rogério Rosso

O candidato a governador do Distrito Federal Rogério Rosso (PSD) votou, na manhã deste domingo (7/10), em um colégio do Lago Sul, em Brasília. Ele foi acompanhado de Karina Rosso, mães dos filhos do candidato e uma das coordenadoras de campanha, além dos três filho, que vestiam camisetas amarelas com os dizeres “Meu partido é o Brasil”. Eles chegaram à seção eleitoral por volta de 11h40. 
 
Logo na entrada, o candidato se reuniu com cerca de 20 eleitores. Na fila da sala de votação, Rogério Rosso cedeu o lugar na fila por duas vezes para idosos que aguardavam. O advogado diz estar com boas expectativas para o resultado das eleições. “Eu estou muito animado. Eu espero que prevaleça a vontade da população”, afirmou.
 
Ele defendeu que tanto o Brasil como o Distrito Federal precisam de mudanças. “Eu estou bastante motivado e, se Deus quiser, a partir de hoje mudanças vão acontecer”, acrescentou.
 
Rogério Rosso passará o restante do dia ao lado da família e acompanhará a apuração dos resultados na casa dos pais. “A gente vai para o segundo turno, né?”, brincou.
 

Fátima Sousa 

Por volta das 10h40 foi a vez de Fátima Sousa (Psol) ir às urnas votar. A candidata compareceu ao Colégio Santa Doroteia, na 911 norte, acompanhada pela vice, Keka Bagno, e por apoiadores e filiados do partido. Durante o cadastro, a biometria não funcionou e ela precisou assinar a ata de votação. 

 

Fátima aproveitou o momento para se manifestar. "Brasília precisa mudar sem medo. A decisão de nosso futuro esta nas mãos e nas mentes de cada eleitor. As urnas precisam enterrar as praticas da velha política", disse.  Às 17h, a candidata vai acompanhar as apurações na sede do partido, localizada na Quadra 2 do Setor Comercial Sul.  

 

 

Alexandre Guerra

O candidato a governador Alexandre Guerra (Partido Novo) votou na manhã deste domingo no Centro Educacional do Lago, na QI 9 do Lago Sul, acompanhado da esposa, Cristiane Guerra. 
 
Após a votação, elel afirmou estar otimista quanto ao segundo turno. "Estamos crescendo. Trabalhamos para isso. A gente está com a expectativa lá em cima. Está na hora dos eleitores fazerem a sua parte", ressaltou.
 
Alexandre ainda contou que, durante o dia, pretende visitar algumas zonas eleitorais e esperar a apuração ao lado da família. 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade