Publicidade

Correio Braziliense

Brasilienses enfrentam filas rápidas no fim do período de eleição

Eleitores esperam até 10 minutos para irem às urnas computar os votos. Clima é de desmotivação e desejo de mudança


postado em 07/10/2018 16:40 / atualizado em 07/10/2018 17:03

Centenas de santinhos estão espalhados pelas ruas que cercam o colégio(foto: Carlos Vieira)
Centenas de santinhos estão espalhados pelas ruas que cercam o colégio (foto: Carlos Vieira)

 
A menos de uma hora para o fim da votação para o primeiro turno, fiscais reclamam com eleitores posicionados com bandeiras e adesivos em frente ao Centro de Ensino Médio 1, do Núcleo Bandeirante. Uma equipe da Polícia Militar acompanha a movimentação, enquanto os militantes partidários afirmam não praticar boca de urna. No cenário, centenas de santinhos estão espalhados pelas ruas que cercam o colégio. 

Enquanto isso, dentro da escola o clima é tranquilo. As filas estão pequenas e os eleitores conseguem votar em até 10 minutos. José Cardoso, 86 anos, chegou para votar por volta das 15h40. Mesmo sem obrigatoriedade, o comerciante ressalta a importância de escolher os governantes do país. “Considero uma oportunidade para a gente escolher alguém mais sério, que vai fazer alguma coisa. Se a gente ficar velho e desacreditar de tudo, fica pior”, se diverte. 
 
Mesmo sem obrigatoriedade, José Cardoso escolheu votar(foto: Carlos Vieira)
Mesmo sem obrigatoriedade, José Cardoso escolheu votar (foto: Carlos Vieira)

 
Para ele, as eleições de 2018 estão frias, tanto para os candidatos, quanto para os eleitores. “Estamos muito desacreditados com os políticos e isso acaba nos desmotivando. Mas o importante é não desistir”, garante. Natural de Minas, José está confiante que um bom presidente assumirá o Brasil nestas eleições. 
 
No fim da tarde, poucos eleitores chegam ao Colégio Salesiano, no Núcleo Bandeirante. As filas estão curtas e a votação está ocorrendo de forma rápida. O contador João Graciano, 65, escolheu o fim da tarde para votar, porque considerou que o horário teria menos movimentação.
 
Para ele, o pleito de outubro será positivo. “Acho que não vai ter um segundo turno e tudo será decidido hoje. Espero que meus candidatos ganhem”, afirma. O contador ressalta que a população está cansada da política velha e que agora é o momento de escolher uma melhor política para o Brasil. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade