Publicidade

Correio Braziliense

Sem tempo a perder, Rollemberg e Ibaneis recomeçam campanha hoje

A partir de hoje, Ibaneis e Rollemberg estão autorizados a distribuir material publicitário, promover carreatas e caminhadas, além de usar alto-falantes e amplificadores de som


postado em 08/10/2018 06:05 / atualizado em 08/10/2018 05:55

"Eu preciso confessar algo para vocês: estava louco para enfrentar o Ibaneis no segundo turno. Quero um debate com ele, cara a cara. Quero todo o apoio. As opiniões divergentes farão com que tomemos as melhores decisões para a capital do país" (foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)

O Distrito Federal teve uma das campanhas mais disputadas do país, com cinco principais candidatos na briga por uma vaga no segundo turno na disputa pelo Palácio do Buriti. O mistério acabou ontem, pouco depois das 18h, quando foi concluída a apuração dos 1,6 milhão de votos dos brasilienses. O advogado Ibaneis Rocha (MDB) e o candidato à reeleição, Rodrigo Rollemberg (PSB), seguem na corrida e terão três semanas para tentar conquistar o eleitorado da capital federal. O emedebista atingiu 634.008 votos, o equivalente a 41,97% dos votos válidos, e o socialista conquistou o apoio de 210.510 eleitores (13,94%). Nas ruas e nas redes sociais, uma nova campanha estende-se de hoje a 27 de outubro. Nessa etapa, cada concorrente ao Executivo local pode gastar até R$ 2,6 milhões.

Pela primeira vez, o DF elegeu uma mulher para o Senado. Integrante da chapa de Rollemberg, a ex-secretária de Esporte Leila do Vôlei (PSB) teve 17,75% dos votos válidos. Ao lado dela, estará Izalci Lucas (PSDB), deputado federal que atingiu 15,32%. No Salão Azul há oito anos, Cristovam Buarque (PPS) não conseguiu renovar o mandato ao conseguir 12,07% dos votos.

Em relação às eleições proporcionais, o eleitorado emplacou a maior bancada feminina da história da capital na Câmara dos Deputados. Das oito vagas, cinco serão preenchidas por mulheres. No total, houve renovação de 87,5% dos representantes do DF — apenas Erika Kokay (PT) se reelegeu. Esposa do ex-governador José Roberto Arruda (PR), a empresária Flávia Arruda (PR) é a deputada federal mais votada deste pleito, com o suporte de 121.340 pessoas.

No Legislativo local, o plenário contará com dois terços de novos distritais. Renovaram o mandato Professor Reginaldo Veras (PDT), Rafael Prudente (MDB), Delmasso (PRB), Chico Vigilante (PT), Robério Negreiros (PSD), Agaciel Maia (PR), Claudio Abrantes (PDT) e Telma Rufino (Pros). Com 29.547 votos, o estreante e pastor Martins Machado, da Igreja Universal do Reino de Deus, obteve o melhor desempenho da disputa.

"Vou continuar fazendo a minha política. Quem quiser se juntar, que venha. Quero registrar que a velha política foi derrotada hoje. A população sabe decidir o que é melhor para ela. Estamos renovados" (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)

As urnas ainda evidenciaram a derrocada do clã Roriz. Neto do ex-governador e aposta da família, Joaquim Roriz Neto (Pros) teve o apoio de 31.455 eleitores, desempenho similar ao de Celina Leão (PP). A coligação dele, no entanto, não atingiu o quociente eleitoral, e o herdeiro do ex-chefe do Buriti ficou sem a vaga. Sobrinho do ex-governador, Dedé Roriz (PHS) disputava uma cadeira na Câmara Legislativa, mas também não teve sucesso.


Propaganda eleitoral

Resolvido o placar do primeiro turno, a campanha pelo GDF tende a esquentar. A partir de hoje, Ibaneis e Rollemberg estão autorizados a distribuir material publicitário, promover carreatas e caminhadas, além de usar alto-falantes e amplificadores de som, entre as 8h e as 22h. A propaganda eleitoral na tevê e no rádio terá início na sexta-feira. Agora, cada candidato dispõe de metade do tempo total no ar.

Em comemoração, ontem, Rollemberg teceu críticas ao adversário e deu o tom do confronto direto. “Eu preciso confessar algo para vocês: estava louco para enfrentar o Ibaneis no segundo turno. Quero um debate com ele, cara a cara”, disse. Para o candidato à reeleição, o emedebista destacou-se no primeiro turno por “ter escondido o que todos precisam saber”. O socialista destacou que o advogado integra o MDB de Michel Temer, investigado na Lava-Jato.

O governador ainda convocou os demais candidatos, derrotados no primeiro turno, para uma ampla aliança. “Quero todo o apoio. As opiniões divergentes farão com que tomemos as melhores decisões para a capital do país”, afirmou. A festa, regada a comida e bebida, aconteceu no Comitê Central de campanha do socialista, no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA).



Ao fim da apuração, Ibaneis Rocha compareceu ao Clube da Ordem dos Advogados do Brasil no Distrito Federal (OAB/DF), no Setor Comercial Sul, para celebrar com apoiadores. O emedebista adiantou que não irá à procura de alianças. “Vou continuar fazendo a minha política. Quem quiser se juntar, que venha. Quero registrar que a velha política foi derrotada hoje”, disse o candidato, apadrinhado político do ex-vice-governador e correligionário Tadeu Filippelli.

No evento, ele agradeceu aos presentes e deu crédito a eles pelo alto índice de votos. “A população sabe decidir o que é melhor para ela. Estamos renovados”, frisou. Por volta das 19h, Ibaneis deixou o local e seguiu para casa a fim de se reunir com familiares em uma comemoração privada.

O formato da recomposição de alianças ainda é incerto. O período de articulação de chapas e os 45 dias de campanha foram tomados por polêmicas. Em debates, os concorrentes chegaram a trocar ofensas com dedos em riste. A expectativa inicial é de que as forças progressistas agrupem-se ao lado de Rollemberg, e as demais, com Ibaneis Rocha.

Crime eleitoral
No Distrito Federal, 389.826 eleitores não compareceram às urnas — eles precisam justificar a ausência e pagar uma multa de R$ 3,51 para ficar em dia com a Justiça Eleitoral. Na disputa pelo GDF, brancos e nulos somaram 180.195 votos. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, houve 53 ocorrências, das quais 37 trataram-se de crimes eleitorais. Além disso, 30 pessoas foram autuadas, sendo 23 em flagrante.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade