Publicidade

Correio Braziliense

Rollemberg precisa conquistar votos em 17 das 19 zonas para vencer disputa

Candidato do PSB levou a melhor nas outras duas e disputou voto a voto com o terceiro colocado, Rogério Rosso (PSD)


postado em 08/10/2018 06:07

O Sol Nascente, em Ceilândia, foi um dos centros das atenções dos candidatos. Ibaneis teve vantagem nas zonas eleitorais que compreendem a região(foto: Ed Alves/CB/D.A Press )
O Sol Nascente, em Ceilândia, foi um dos centros das atenções dos candidatos. Ibaneis teve vantagem nas zonas eleitorais que compreendem a região (foto: Ed Alves/CB/D.A Press )

Com mais de 400 mil votos de vantagem para o segundo colocado,  Rodrigo Rollemberg (PSB), o ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no Distrito Federal (OAB-DF) Ibaneis Rocha (MDB) venceu em 17 das 19 zonas eleitorais do Distrito Federal. O detalhamento por regiões reflete também a tendência confirmada no resultado geral, o socialista e Rogério Rosso (PSD) disputando de maneira acirrada um lugar no segundo turno da disputa pelo Buriti (veja quadro com o resultado dos três mais votados).

As urnas nas zonas eleitorais confirmam a tendência de levar a decisão para o segundo turno. Em apenas duas delas Ibaneis garantiria a vitória na primeira etapa. Na 21ª — que inclui eleitores do Recanto das Emas e de Samambaia —, o candidato do MDB teve o melhor desempenho em termos percentuais, com 52,34%. Foram 40,12 mil votos contra 9.081 do segundo colocado na região, Rogério Rosso. Na 16ª zona — Ceilândia Norte e Brazlândia —, Ibaneis alcançou 50,6%. A região foi a que mais deu votos em números (51.189) para o emedebista.

Ibaneis teve desempenho consistente em todas as zonas eleitorais. O concorrente ao Palácio do Buriti teve menos de 30% dos votos em apenas três delas. O pior desempenho de Ibaneis (22,97%) não é tão distante do melhor número de um adversário: os 31,92% de Rollemberg na Asa Sul. Além de Ibaneis, somente Rollemberg ultrapassou a barreira dos 30% em qualquer uma das zonas eleitores. O socialista teve 31,25% na zona que compreende Asa Norte, Vila Planalto e Águas Claras.

Como previam as pesquisas de intenções de voto, Rollemberg teve mais força na área central do DF. O Plano Piloto foi responsável pelas duas únicas vitórias do candidato à reeleição. Com a votação na 1ª (Asa Sul) e na 14ª (Asa Norte, Vila Planalto e Águas Claras), ele conquistou 41,640 mil votos. Número pouco maior do que diferença entre Rosso e Rollemberg, que foi de 40,725 mil votos. Nos dois casos em que Rollemberg liderou, Ibaneis manteve-se na segunda colocação.

O governador teve o pior desempenho na 21ª zona, que compreende Recanto das Emas e Samambaia. Com 5,73%, Rollemberg ficou na sexta posição, atrás de concorrentes como Rosso, Eliana Pedrosa (Pros), Alberto Fraga (DEM) e Paulo Chagas (PRP).

Disputa acirrada

Rollemberg e Rosso alternaram o segundo lugar nas 17 zonas eleitorais em que Ibaneis foi o líder. O deputado federal licenciado ficou na segunda posição em nove regiões e Rollemberg, em sete delas. O bom desempenho do governador no Plano Piloto foi fundamental para que conseguisse se garantir na próxima etapa da eleição e superasse Rosso.

O candidato do PSD se destacou em regiões fora do centro do Distrito Federal, como Taguatinga, Ceilândia, Santa Maria, Planaltina, Gama e Recanto das Emas. O Gama foi responsável pelo melhor resultado de Rosso. Ele conquistou 14,51% dos votos do local, com 12.603 eleitores.

Ceilândia na mira

Maior colégio eleitoral do Distrito Federal, Ceilândia foi um dos destinos preferidos dos candidatos ao GDF no primeiro turno. Nos dias finais, os concorrentes ao Palácio do Buriti tiveram diversos compromissos na cidade, que tem cerca de 365 mil eleitores. Conquistar o eleitorado da região deve ser prioridade também para o segundo turno. Rollemberg e Ibaneis visitaram a cidade dezenas de vezes na campanha.

Ibaneis trabalhará para consolidar a vantagem conquistada no primeiro turno. Ele venceu nas três zonas eleitorais que contam com moradores da região — 8ª, 16ª e 20ª. Ceilândia garantiu 121,619 mil dos 634 mil votos do candidato.

O desempenho de Rollemberg foi muito aquém do adversário. Ele conseguiu convencer 24,973 mil eleitores da cidade. O governador priorizou o Sol Nascente durante a campanha do primeiro turno e teve várias agendas na região, nas quais lembrava feitos para a infraestrutura e para regularização fundiária do local. Mesmo assim, a zona eleitoral do Sol Nascente — a 8ª — preferiu outros candidatos. Lá, o socialista ficou atrás de Ibaneis e de Rosso.

17 
Zonas eleitorais em que Ibaneis venceu

Zonas em que Rollemberg liderou
423.498 
Votos a mais que Ibaneis obteve sobre Rollemberg
40,725 mil 
Diferença de votos entre Rollemberg (2º) e Rosso (3º)

Memória

Desempenho melhor em 2014
Em 2014, Rollemberg teve desempenho similar ao de Ibaneis no primeiro turno. O governador venceu em 20 das 21 zonas eleitorais existentes no período e foi para o segundo turno contra Jofran Frejat (PR). Neste pleito, a 7ª e a 12ª zonas foram extintas e os eleitores realocados em outras. Naquela eleição, os resultados do socialista também foram melhores no Plano Piloto, onde se aproximou dos 60% dos votos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade