Publicidade

Correio Braziliense

Eleita federal pelo DF, Paula Belmonte diz que fará política para o social

Em entrevista ao CB.Poder nesta quarta-feira, Paula afirmou ser contra a redução da maioridade penal e favorável a uma reforma tributária e previdenciária


postado em 10/10/2018 18:23 / atualizado em 10/10/2018 18:23

(foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)

 
Eleita com mais de 46 mil votos pelo Distrito Federal, a deputada federal Paula Belmonte (PPS) garantiu que fará uma política voltada às políticas sociais, assim que assumir o cargo no Congresso Nacional em 2019. Em entrevista ao CB.Poder nesta quarta-feira (10/10), programa do Correio Braziliense com a TV Brasília, Paula afirmou ser contra a redução da maioridade penal e favorável a uma reforma tributária e previdenciária. 
 
"Nosso sistema tributário é voltado para o consumo. Acho importante nós termos essa reforma para incentivar empresas a crescerem, e a geração de emprego. Defendo uma reforma na previdência, na qual a gente mantenha os direitos adquiridos e retiremos as super aposentadorias", afirmou a deputada. 
 
Dentro do Congresso a partir de janeiro, Paula disse que atuará na área dos direitos da criança e do adolescente. Colocando-se como outsider do ramo político, e pela primeira vez candidata, a deputada disse que vê na vitória um apelo da população à renovação política. "Hoje, eu acho que o reflexo da minha vitória é um reflexo de uma sociedade que não aguenta mais os mesmos, infelizmente. Não tive dificuldade em chegar nas pessoas porque eu fui apresentando o combate à corrupção”, disse.  
 
Durante a entrevista, Paula também defendeu a educação primária como componente de combate à violência, e disse que fará uma gestão voltada aos assuntos de interesse da criança e do adolescente.  “Viemos com a pauta infância. Mas essa criança tem um irmão adolescente, um pai e mãe desempregados, uma dignidade de uma família que ue está sem dignidade. Essa é minha pauta, ligada à infância e adolescente”, disse.  “E quando falamos de dignidade, oportunidade, não tem como eu não tem como eu não deixar de tocar no empreendedorismo, que é o setor produtivo. Eu sou empresária e sei o quanto precisamos valorizar empresários para gerar empregos”, completou. 
 
Defensora do combate à corrupção, Paula disse que fará uma gestão investigativa para atuar na defesa da fiscalização do dinheiro público. Questionada como lidará com políticos investigados dentro da Câmara dos Deputados, a parlamentar disse que “será um grande aprendizado, vou ter que conviver”. “Polícia tem que ser feita com alianças, na base da ética. Eu acho que as pessoas também vão saber que eu estarei aberta, à disposição da sociedade como um todo, para que a gente possa construir política com ética, que eu acho que é possível”, afirmou. 
 
Assista à entrevista na íntegra
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade