Publicidade

Correio Braziliense

Homem mata a companheira a pauladas e tira a própria vida em seguida

Feminicídio ocorreu na noite de sexta-feira, no Recanto das Emas, mas os bombeiros só foram acionados na manhã deste sábado


postado em 13/10/2018 11:20 / atualizado em 14/10/2018 10:01

(foto: Fernando Lopes/CB/D.A Press)
(foto: Fernando Lopes/CB/D.A Press)
 
 
Um homem de 61 anos matou a pauladas uma mulher 45 anos no Recanto das Emas. Ele se matou em seguida. O crime teria ocorrido na noite de sexta-feira (12/10), porém os bombeiros só foram acionados na manhã deste sábado (13/10), por volta das 10h, para atender o chamado.

Ao chegarem na residência, localizada na quadra 604 conjunto 15, constaram que a vítima de feminicídio já estava morta há aproximadamente 12 horas. O autor das facadas teria morrido há menos tempo. Segundo a Polícia Militar do Distrito Federal, eles eram casados e moradores acreditam terem ouvido o homem a agredindo. O local está fechado para perícia no momento.

Com este caso, o DF registrou 24 feminicídios em 2018. Cinco a mais que as ocorrências registradas no ano passado: 19. Em três crimes, o agressor tirou a própria vida. Há dois dias, Júlia Inácio de Alvim, 44 anos, foi morta pelo marido com três facadas na frente da irmã e de três filhos no Itapoã. 
 
No primeiro semestre, houve 7.169 ocorrências desse tipo de crime, contra 7.029 de janeiro a junho do ano passado. Nesses casos, as três principais formas de ataque são a psicológica (69,3% dos registros), seguida de agressões físicas (52,1%) e violência patrimonial (11,24%). 
 
Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do DF disse que as mulheres estão mais protegidas. "As mulheres estão buscando ajuda contra os seus agressores que, em 85% dos casos, são conhecidos das vítimas. Além disso, 86% das agressões acontecem dentro de casa", destaca o texto.

Para registrar queixa contra agressões, o DF conta com Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM) e núcleos de atendimento à mulher em todas as delegacias do Distrito Federal. 
 
Atualização: inicialmente a polícia informou que a mulher teria sido esfaqueada. Depois, corrigiu a informação. Na verdade, ela foi morta a pauladas. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade