Publicidade

Correio Braziliense

Participantes de projeto cultural refazem caminhos da Missão Cruls

Iniciativa promove passeios aos quatro vértices que delimitam a região do Distrito Federal. Pontos foram marcados em 1892, durante expedição de estudo do Planalto Central liderada pelo astrônomo belga Louis Ferdinand Cruls


postado em 20/10/2018 10:00 / atualizado em 20/10/2018 13:50

Participantes do projeto Caminhamentos Missão Cruls representam cada um dos 22 integrantes da empreitada, que explorou o Planalto Central no século 19(foto: Wallace Martins/Esp. CB/D.A Press)
Participantes do projeto Caminhamentos Missão Cruls representam cada um dos 22 integrantes da empreitada, que explorou o Planalto Central no século 19 (foto: Wallace Martins/Esp. CB/D.A Press)


A história de Brasília serviu de inspiração para muitos entusiastas. Desde o sonho de Dom Bosco — que previa o nascimento de uma civilização entre os paralelos 15º e 20º no hemisfério sul — até hoje, inúmeros projetos nasceram com o objetivo de resgatar a cultura e de relembrar a epopeia deu origem à capital federal. Motivado pelos trabalhos de Louis Ferdinand Cruls, responsável por delimitar os vértices do Distrito Federal em 1892, um grupo de professores, integrantes de movimentos culturais e tropeiros se reúne neste sábado (20/10) para refazer os passos do astrônomo belga. O projeto, intitulado Caminhamentos Missão Cruls, está na segunda etapa e ocorre na cidade de Planaltina.

Ainda que tenha se transformado em capital apenas em 1960, a área do DF estava demarcada desde o século 19. A proposta de interiorização constava na Constituição Federal de 1891 e, ao longo de dois anos, 22 pesquisadores saídos do Rio de Janeiro levaram adiante o desafio de desbravar o interior do Centro-Oeste guiados por Louis Cruls. Os caminhos, registrados ao longo da missão, são percorridos por exploradores e turistas até hoje.

O diferencial dos integrantes do Caminhamentos Missão Cruls é a caminhada com indumentária inspirada na época. A partir das 15h30, os participantes darão início ao passeio cultural e visitarão locais como a Lagoa Mestre D’Armas, na Estação Ecológica Águas Emendadas, e a Pedra Fundamental de Planaltina. A ideia de seguir os passos de Louis Cruls é do professor de história Robson Eleutério.

Aposentado pela Secretaria de Educação, Robson quis dar destaque à história do astrônomo e aos pontos demarcados durante a missão. Dessa forma, segundo ele, os próprios municípios onde os vértices estão localizados podem desenvolver propostas com foco no turismo. “Os quatro pontos são sempre muito citados nos relatos de Louis Cruls. Em 1992, no centenário da missão, o Exército percorreu cada um deles para colocar uma peça e indicar de qual ponto se trata. Até o fim do ano, vamos visitar os restantes”, conta.

Atualmente, alguns dos pontos se encontram em áreas particulares. A proposta do professor é criar trilhas que levem a cada um deles e tornem os caminhos acessíveis e mais conhecidos pela população. “É um trabalho educativo para a comunidade local que tem como base o relatório da comissão exploradora. Trata-se de um documento rico em informações. Fala da fauna, flora, geologia, astronomia e do clima. Nossa intenção é levar isso para as escolas também”, destaca Robson. 
 
Coordenadora da Regional de Ensino de Planaltina, a professora Queti Diettrich participará das atividades na cidade. “Acho muito importante esse resgate e ficamos satisfeitos de terem escolhido Planaltina para receber essas atividades.” Queti divulgou o projeto em instituições de ensino e espera que os estudantes marquem presença para acompanhar a caminhada. Durante o percurso, ela representará Lilinda, esposa de Hastimphilo de Moura, um dos ajudantes de Cruls na missão. “Esse tema precisa ser trabalhado nas escolas, pois os vértices estão abandonados hoje”, comenta. 

Qualidade hídrica


O passeio terá início na Administração Regional de Planaltina. Durante o percurso, os interessados em acompanhar como espectadores assistirão a encenações com diálogos inspirados no cotidiano da época. “Cada pessoa representará um participante. Esse trecho do roteiro que faremos é o mesmo da época. Ele fez parte da Estrada Real, que saía da Salvador, passava por Planaltina e chegava à Cidade de Goiás. Era uma rota feita com certa frequência, principalmente por causa do ouro”, explica Robson. 

Mesmo que a cidade de Planaltina não conte com um dos vértices demarcados por Cruls, o explorador esteve passou pela Lagoa Mestre d’Armas — também conhecida como Lagoa Bonita e onde, atualmente, fica a Estação Ecológica Águas Emendadas. Enquanto estudava o Planalto Central, a abundância de água chamou a atenção do belga.

“O local aonde iremos fica próximo à dispersão das bacias das Águas Emendadas. A questão da qualidade hídrica foi determinante para a escolha do local onde seria demarcada a capital. Cruls fez essa observação no relatório da Expedição Exploradora do Planalto Central do Brasil. O motivo de não terem ficado doentes aqui foi, especialmente, a qualidade da água”, detalha o idealizador do projeto histórico-cultural. 

Entretenimento


O segundo dia de passeio por meio do projeto Caminhamentos Missão Cruls ocorrerá em parceria com o Festival Quadrilátero Cruls. Financiado pelo Fundo de Apoio à Cultura (FAC), o evento contará com apresentações de dança e bandas de Planaltina, atividades promovidas pela Embaixada da Bélgica, além da inauguração de uma escultura de Louis Ferdinand Cruls observando o céu com uma luneta. Feita em bronze, a obra tem 1,8 metro de altura.

Responsável pela organização o festival, Elisa Rachaus afirma que a ideia do evento nasceu como uma ação para evitar o esquecimento da história do Distrito Federal. Para a produtora cultural, o encontro vai favorecer a divulgação de tradições desconhecidas por muitos brasilienses. “Não existem ações patrimoniais focadas na missão comandada por Louis Cruls. Há muitos feriados no DF, mas nada que represente ou relembre o início de tudo. Fiz um projeto pensando em formas de introduzir esse tema em shows e para que as pessoas tomem conhecimento e revivam um pouco da nossa primeira história”, conta Elisa. 

Programe-se


Festival Quadrilátero Cruls
Horário: das 15h às 2h
Local: Praça São Sebastião, Setor Tradicional de Planaltina (Igrejinha de São Sebastião)
Ingressos: Entrada franca
Classificação livre



Primeira fase

Em julho, professores e integrantes de movimentos culturais compuseram grupo que visitou vértice sudoeste(foto: Arquivo pessoal)
Em julho, professores e integrantes de movimentos culturais compuseram grupo que visitou vértice sudoeste (foto: Arquivo pessoal)
O projeto Caminhamentos Missão Cruls começou em Abadiânia (GO), em 29 de julho. O professor Robson Eleutério e outras 14 pessoas saíram da Floresta Nacional de Taguatinga e seguiram rumo ao vértice sudoeste. Vestidos a caráter, montados em cavalos, mulas ou a pé, eles seguiram os caminhos percorridos durante a expedição de 1982 na área. Em seguida, o grupo rumou para o Rio Capivari, onde participou de atividades como observações astronômicas e rodas de conversas sobre a missão. A terceira caminhada está prevista para 11 de novembro, em Formosa (GO), no vértice nordeste.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade